Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

EUA preparam processo contra Google sobre negócios em publicidade digital

Autoridades antitruste do Departamento de Estado americano preparam ação sobre o modelo de anúncios da big tech

Por da Redação Atualizado em 3 set 2021, 22h08 - Publicado em 1 set 2021, 20h02

Autoridades antitruste dos EUA estão preparando um segundo processo de monopólio contra o Google, da Alphabet Inc. Estão na mira os  negócios de publicidade digital da empresa, informou uma fonte familiarizada com o assunto à Bloomberg. O Departamento de Justiça acelerou sua investigação sobre as práticas de publicidade digital do Google e pode abrir um processo no final do ano, segundo a fonte.

Em outubro passado, o Departamento de Justiça abriu processo contra o Google acusando a empresa de usar ilegalmente sua força de mercado para prejudicar rivais. Um julgamento foi marcado para setembro de 2023.

O caso da vez de uma ação judicial apresentada por um grupo de procuradores-gerais de 38 estados, liderado pelo Texas, que acusou o Google de monopolizar ilegalmente o mercado de publicidade digital. Os estados disseram que o Google chegou a um acordo ilegal com o Facebook para manipular os leilões online em que anunciantes e editores de sites compram e vendem espaço publicitário.

O Google contesta que domina o mercado de tecnologia de publicidade, argumentando que o espaço está lotado com grandes empresas como Amazon.com, Comcast e Facebook competindo por negócios e também nega a alegação dos estados de que está manipulando leilões para beneficiar o Facebook. “Nossas tecnologias de publicidade ajudam sites e aplicativos a financiar seu conteúdo, permitem que pequenas empresas cresçam e protegem os usuários de práticas de privacidade exploradoras e experiências de anúncios ruins”, disse a empresa em um comunicado. “Há uma enorme competição em ferramentas de publicidade, o que tornou os anúncios online mais relevantes, reduziu as taxas e expandiu as opções para editores e anunciantes.”

Investigação

Um novo processo do Departamento de Justiça contra o Google seria uma sinalização da gestão do presidente Joe Biden para endurecer a fiscalização antitruste, em um esforço para aumentar a concorrência em toda a economia. Biden nomeou Jonathan Kanter, crítico do Google, para comandar a divisão antitruste do departamento. Kanter há muito representa empresas que pressionam os responsáveis por concorrência a tomarem medidas contra o Google, incluindo a News Corp e a Yelp.

O escrutínio do departamento sobre o controle do Google sobre o mercado de tecnologia de publicidade remonta ao governo Trump. O Departamento de Justiça, sob o comando do então procurador-geral, William Barr, processou o Google por seu negócio de busca, alegando que a empresa usou acordos de distribuição exclusiva com operadoras e fabricantes de telefones sem fio para impedir a concorrência.

Continua após a publicidade
Publicidade