Clique e Assine a partir de R$ 7,90/mês

EUA pedem que países do G-20 evitem mexer na cotação cambial

Recente flexibilização monetária no Japão reacendeu, principalmente na Europa, temores de desvalorização da moeda de grandes potências para incentivar exportações

Por Da Redação 11 fev 2013, 19h56

Nesta segunda-feira, os Estados Unidos pediram aos membros do G-20, que se encontrarão na sexta-feira e no sábado em Moscou, para evitar a desvalorização competitiva de suas moedas, o que ameaçaria o crescimento econômico.

A desvalorização competitiva é a intervenção do banco central na cotação da moeda para fomentar as exportações. Os temores entre as grandes potências começaram com a recente flexibilização monetária no Japão, que reacendeu a ideia entre os países da Europa.

“O G-20 deve chegar a um compromisso para taxas de câmbio determinadas pelo mercado e evitar a chamada ‘desvalorização competitiva'”, disse Lael Brainard, secretária adjunta do Tesouro para Assuntos Internacionais, que liderará a delegação norte-americana na Rússia.

Leia também:

França será aliada de Guido Mantega em ‘guerra cambial’

Continua após a publicidade

Câmbio volta a ser alvo de intervencionismo do governo

UE pede políticas cambiais coordenadas para evitar valorização do euro

“A assimetria nas políticas de taxas de câmbio cria fontes de conflito”, destacou Brainard, que reiterou o pedido norte-americano à China para que deixe o yuan flutuar mais livremente.

Além disso, com uma recuperação ainda frágil se deve evitar qualquer grande ajuste fiscal, a secretária adjunta do Tesouro argumentou que o G-20 deve “fazer mais para encontrar um equilíbrio entre o ajuste fiscal a médio prazo e a necessidade de apoiar o crescimento a curto prazo”.

(com AFP)

Continua após a publicidade

Publicidade