Clique e Assine a partir de R$ 7,90/mês

Estatal boliviana controlará gasoduto que tem a Petrobras como sócia

Aumento da participação da YPFB Casa Matriz na Transierra era previsto desde dezembro passado na sociedade com a brasileira, a espanhola Repsol e a francesa Total

Por Da Redação 10 abr 2014, 21h08

A companhia petrolífera estatal boliviana YPFB Casa Matriz vai assumir o controle da Transierra, encarregada de um gasoduto interno estratégico da Bolívia, do qual também são sócios a brasileira Petrobras, a espanhola Repsol e a francesa Total. O presidente da YPFB, Carlos Villegas, afirmou nesta quinta-feira que a empresa cumprirá o estipulado na Lei da Empresa Pública, promulgada em dezembro do ano passado e que lhe dá o direito de assumir a maioria de ações (pelo menos 51%) na transportadora de gás. As ações serão transferidas nos próximos meses – a conclusão deve acontecer até junho. A Lei da Empresa Pública está vigente desde o dia 27 de dezembro.

Leia mais:

Em dois anos sob gestão da Petrobras, Pasadena perdeu US$ 300 mi

Belgas queriam desfazer negócio com a Petrobras já em 2006

​Petrobras: finanças vão mal, mas diretores nunca ganharam tanto

Criada em 2000, a Transierra tem como sócios a YPFB Andina (44,5%), a Petrobras com a mesma porcentagem e a Total com os 11% restantes. Por sua vez, a YPFB Andina é formada quase igualmente pela estatal boliviana YPFB e a espanhola Repsol. Uma fonte do setor que não quis se identificar disse que a YPFB deve adquirir cerca de 30% das ações para ter pelo menos 51%.

Desde a nacionalização do setor em 2006, a YPFB controla toda a cadeia produtiva do setor hidrocarbonetos na Bolívia, o que inclui os gasodutos de exportação a Brasil e Argentina.

O gasoduto de 432 quilômetros transporta o produto do Estado sulista de Tarija até o Rio Grande na região de Santa Cruz, onde está o principal centro de operações das exportações do gás.

(com agência EFE)

Continua após a publicidade

Publicidade