Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Estatais federais deixaram de investir R$ 10 bilhões em 2013

Petrobras está entre as empresas que melhor executaram seus investimentos, com aplicação de 72,6 bilhões de reais, dos 74 bilhões de reais disponíveis

As estatais federais executaram 92,1% dos investimentos previstos para 2013. No ano passado, porém, as empresas do governo deixaram de aplicar quase 10 bilhões de reais em obras e projetos no país, mostra relatório do Ministério do Planejamento que traz a execução do Orçamento de Investimento das estatais no decorrer de 2013. O documento cita que a dotação de 2013 para essas empresas somou 123 bilhões de reais, dos quais aproximadamente 113 bilhões de reais foram executados.

O relatório divulga o desempenho de 74 estatais, 67 do setor produtivo e 7 do setor financeiro. A Petrobras foi uma das que apresentaram uma melhor execução dos investimentos no ano passado, com aplicação de 97,6% do total dos recursos. Foram desembolsados pela petrolífera 72,6 bilhões de reais de um total de 74 bilhões de reais para o ano. O Grupo Eletrobras investiu 7 bilhões reais, o que equivale a 82,7% do orçamento de 8,7 bilhões reais. A Telebrás gastou 286 milhões reais, ou seja, 56,8% do total de 503 milhões de reais. A Infraero executou 80,8% de seu orçamento, aplicando 1,6 bilhão de reais e deixando de investir 4 bilhões de reais.

Leia também:

Superávit primário é o pior em 12 anos: 1,9% do PIB

Dívida pública fecha 2013 em 33,8% do PIB

FMI: infraestrutura deve limitar crescimento do Brasil

No setor financeiro, a Caixa aplicou 1,7 bilhão de reais, representando 74,9% do total de 2,3 bilhões reais. O Banco do Brasil investiu apenas metade do previsto para o ano – 1,5 bilhão de reais do valor global de 3 bilhões de reais. O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) executou 46,9% de seu orçamento de 35 milhões de reais para o ano, um gasto de 16,5 milhões de reaus.

O documento ainda revela que a maior parte dos investimentos das estatais em 2013 foi destinada à Região Sudeste (29,9%), seguida pelo Nordeste (15,5%), Sul (2,9%), Norte (2,3%) e Centro-Oeste (0,3%). Outros investimentos foram feitos nas regiões caracterizadas como ‘nacional’ (39%) e ‘exterior’ (10%). O relatório foi publicado nesta sexta-feira, no Diário Oficial da União (DOU).