Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Espanha proíbe especulação na queda por três meses

A Comissão Nacional de Valores (CNV), autoridade reguladora do mercado de ações da Espanha, anunciou nesta segunda-feira a proibição da venda a descoberto por um período de três meses, em meio a uma sessão de fortes quedas na Bolsa de Madri.

“A situação de extrema volatilidade que atravessam os mercados de valores europeus, podem perturbar seu funcionamento e afetar o desenvolvimento da atividade financeira”, disse a CNV em um comunicado para justificar sua decisão.

A venda a descoberto (short selling, em inglês) é a venda de um ativo financeiro ou derivativo que não se possui, esperando que seu preço caia para então comprá-lo de volta e lucrar na transação.

Pouco antes, a Itália havia anunciado uma medida similar, mas só durante esta semana, para evitar a especulação excessiva em um cenário de queda.

As autoridades de Madri e Milão não descartam prorrogar a proibição caso seja preciso.

As bolsas europeias estão em forte queda nesta segunda-feira.

Às 10H08 de Brasília, a Bolsa de Madri perdia 3,15%, aos 6.049,80 pontos, após ter recuado mais de 5%, enquanto que a taxa de risco – diferencial pago pelos bônus espanhóis a dez anos com o alemão, de referência – superava os 634 pontos básicos.

Já na Bolsa de Milão, o FTSE MIB perdia 4,08% no mesmo horário, a 12.534,71 pontos, com sua taxa de risco aos 522 pontos.