Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês

Espanha leiloa sua dívida a juros menores apesar de castigo da Moody’s

Por Da Redação 14 fev 2012, 08h23

Madri, 14 fev (EFE).- O Tesouro Público espanhol leiloou nesta terça-feira 5,445 bilhões de euros em letras a 12 e 18 meses a juros menores, apesar do castigo imposto pela agência de classificação de risco Moody’s à dívida soberana do país.

A demanda das entidades, que rondou os 13,9 bilhões de euros, foi mais do que o dobro da oferta, que se situou no patamar da emissão máxima, de 5,5 bilhões de euros.

O leilão, o primeiro realizado depois que o governo de Mariano Rajoy aprovou a reforma trabalhista, aconteceu apenas horas depois de as três principais agências de classificação de risco – Moody’s, Standard & Poor’s e Fitch – rebaixarem a dívida soberana espanhola e a dos principais bancos do país.

Com a realizada nesta terça, a Espanha soma oito emissões consecutivas de dívida com juros menores.

O Tesouro espanhol colocou neste leilão 2,943 bilhões de euros em letras a 12 meses com juros marginais de 1,949%, abaixo dos 2,15% da emissão precedente, frente a solicitações de 6,68 bilhões de euros por parte das entidades financeiras.

Além disso, leiloou 2,502 bilhões de euros a 18 meses com uma rentabilidade de 2,395%, abaixo dos 2,49% aplicados anteriormente.

Continua após a publicidade

Por outro lado, os bancos solicitaram 7,205 bilhões de euros a um ano e meio.

O resultado do leilão mostra que o castigo aplicado horas antes pela Moody’s à dívida soberana espanhola e a de outros cinco países europeus – Itália, Malta, Portugal, Eslováquia e Eslovênia – causava um efeito limitado no mercado de renda variável e na dívida soberana espanhola.

O ministro da Fazenda espanhol, Cristóbal Montoro, considerou ‘paradoxal’ e ‘contraditório’ o rebaixamento aplicado à dívida espanhola pelas agências de qualificação, que ‘por um lado avaliam positivamente as reformas e depois determinam com seu critério o contrário’, como fez a Moody’s.

A taxa de risco da Espanha, que mede o diferencial entre o bônus nacional a dez anos e o alemão do mesmo prazo, estava a apenas seis pontos básicos na abertura da sessão até alcançar 339, embora minutos depois caía para 336 pontos.

A Bolsa da Espanha refletia em sua abertura principalmente o rebaixamento aplicado na segunda-feira pela Fitch e Standard & Poor’s aos bancos cotados, que de forma generalizada sofriam perdas e mantinham uma queda de 0,13% no IBEX-35.

Na próxima quinta-feira, o Tesouro espanhol realizará um novo leilão e tentará colocar entre 3 bilhões e 4 bilhões de euros com três emissões com vencimento em 2015 e 2019. EFE

Continua após a publicidade

Publicidade