Clique e assine com até 92% de desconto

Equipe de ministros de Rajoy toma posse na Espanha ante desafio econômico

Por Juan Carlos Rojas 22 dez 2011, 13h07

Os ministros do novo governo conservador espanhol, presidido por Mariano Rajoy, assumiram suas funções nesta quinta-feira, tendo a economia como prioridade absoluta e prevendo adotar medidas urgentes de austeridade para combater a crise.

O novo ministro de Economia e Competitividade, Luis de Guindos, 51 anos, terá a difícil tarefa de combinar rigor e reformas, em um momento em que a Espanha provavelmente entrará em recessão no início de 2012 e sofre com uma taxa de desemprego recorde.

Após receber o posto das mãos de sua antecessora, a socialista Elena Salgado, De Guindos destacou o caráter múltiplo da crise atual, composta, segundo ele, de fatores internacionais, financeiros e relativos ao euro, além das questões internas relativas ao mercado de trabalho e à competitividade.

“Apesar das dificuldades, estou convencido que com o esforço de todos e com a política econômica correta, a Espanha se dirigirá para o caminho do crescimento e voltaremos outra vez a prosperar”, afirmou.

Particularmente esperada pelos mercados, a nomeação de Luis de Guindos é também simbólica, já que ele presidiu no passado o banco Lehman Brothers, na Espanha e Portugal, de 2006 até sua quebra, em 2008.

“Sua experiência à frente do banco norte-americano pode comprometer sua credibilidade”, disseram os analistas do centro de estudos sobre governança pública da escola de negócios da Espanha, IESE.

Guindos foi também secretário de Estado de Economia entre 2002 e 2004.

Continua após a publicidade

O novo ministro da Fazenda e Administrações Públicas, Cristóbal Montoro, 61 anos, será responsável junto de Guindos de colocar a economia espanhola no caminho do crescimento novamente, diante de uma forte ameaça de recessão e castigada com uma elevada porcentagem de desemprego, de 21,52%, um recorde entre os países industrializados.

O jornal de centro-direita El Mundo destacou a experiência de Montoro e disse que ele terá “a difícil e ingrata tarefa de cortar o gasto público e colocar as contas em dia”.

Apenas quatro mulheres foram designadas ministras, sendo uma delas Soraya Sáenz de Santamaría, a mais jovem do governo, com 40 anos, que ocupará o cargo de vice-presidente do executivo e será a porta-voz do gabinete.

Soraya deu a luz a seu primeiro filho há um mês. Muito próxima de Rajoy, ela se encarregará da árdua tarefa de coordenar os novos ministros.

Rajoy se comprometeu a respeitar também o compromisso assumido pela Espanha ante seus sócios europeus e de levar o déficit a 4,4% do PIB em 2012 (contra 9,3% em 2010) e a 3% em 2013, sendo esse o limite fixado pela UE.

Para 2011, a meta é atingir uma relação déficit/PIB de 6% .

O novo ministro de Assuntos Exteriores, José Manuel Garcia Margallo, 67 anos, reforça particularmente o perfil econômico do governo de Rajoy. Advogado e ex-inspetor de Finanças, ocupava antes de sua designação a vice-presidência da Comissão de Assuntos Econômicos e Monetários do Parlamento em Estrasburgo.

Continua após a publicidade
Publicidade