Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

ENTREVISTA-Colheita de cana do Brasil deve começar mais tarde

* Colheita tardia dará tempo para concentração de sacarose

Por David Brough e Martina Fuchs

DUBAI, 6 Fev (Reuters) – A oferta global de açúcar estará apertada antes do início da próxima colheita do Brasil, que deve começar mais tarde do que o normal para permitir o desenvolvimento da sacarose na cana, disse o analista Jonathan Kingsman nesta segunda-feira.

Porém, o mercado receberá uma quantidade consideravelmente grande de açúcar com chegada da nova safra do centro-sul, disse ele à Reuters TV em entrevista, no intervalo da conferência da Kingsman em Dubai, de 4 a 7 de fevereiro.

“O aperto pode durar até junho/julho tanto do açúcar bruto quanto do refinado”, disse Kingsman, diretor da Kingsman SA, baseada em Lausanne.

“O mercado vai entrar em uma situação de excedente com o início da nova safra brasileira”, acrescentou ele.

O Brasil é de longe o maior produtor e exportador de açúcar do mundo. A colheita no centro-sul do Brasil, maior região produtora do país, geralmente começa em abril.

Kingsman deve fornecer suas estimativas sobre o balanço de oferta e demanda de açúcar na terça-feira, com o encerramento da conferência.

Ele disse que a colheita no centro-sul do Brasil deve começar mais tarde para dar mais tempo de a cana concentrar a sacarose.

Traders sêniors de açúcar que participaram do evento da Kingsman disseram esperar que a produção 2012/13 de cana no centro-sul do Brasil fique em cerca de 520 milhões de toneladas, após 490 milhões em 2011/12.

Eles disseram que os canaviais envelhecidos e a falta de investimentos adequados para renovação da cana desaceleraram a recuperação da produção da cana.

Clima adverso, incluindo geadas esporádicas, também contribuíram para o recuo na produção do ano passado no Brasil.

“Esperamos que (a colheita de cana no centro-sul) comece uma ou duas semanas mais tarde que no ano passado, e o ano passado já estava duas semanas mais tarde (que o normal)”, disse Kingsman.

Ele disse que o clima nas últimas semanas tem sido favorável para o desenvolvimento da cana, apesar de haver preocupações sobre a falta de luz solar inibindo o acúmulo de sacarose na cana.

“O clima tem estado muito bom. Nós achamos que a safra terá tendência de alta ao invés de baixa”, disse ele.