Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Entra em vigor o polêmico TLC entre Estados Unidos e Coreia do Sul

Um Tratado de Livre Comércio (TLC) assinado em 2007 entre os Estados Unidos e a Coreia do Sul entrou finalmente em vigor nesta quinta-feira, após anos de controvérsias e protestos, especialmente no país asiático, terceiro sócio comercial de Washington.

A Coreia do Sul, um grande país exportador, tem agora tratados comerciais com duas das três maiores zonas comerciais do mundo, após o acordo assinado com a União Europeia (UE).

O acordo com a Coreia do Sul é um dos maiores já firmados pelos Estados Unidos desde o assinado em 1994 com Canadá e México.

O presidente americano, Barack Obama, chamou na quarta-feira seu homólogo sul-coreano para felicitá-lo pela entrada em vigor do tratado.

Obama agradeceu a Lee Myung-Bak “a estreita cooperação da Coreia para a implementação deste acordo”, conforme disse a Casa Branca em um comunicado.

Segundo analistas, apesar de ser objeto de numerosas críticas, este TLC estimulará o comércio entre os dois países e fortalecerá a velha aliança política e econômica entre Seul e Washington.

Muitos sul-coreanos consideram o acordo injusto e dizem que a Coreia, um rico país exportador – principalmente no setor automotivo, eletrônico e de telecomunicações – perderá empregos.

Os opositores ao TLC afirmam que ele servirá aos interesses do setor financeiro em detrimento dos agricultores e das indústrias sul-coreanas.

Cerca de 1.200 manifestantes expressaram seu descontentamento na quarta-feira à noite no centro de Seul, horas antes de entrar em vigor o TLC, à meia-noite local.

O texto foi firmado pelos dois países e promulgado em outubro de 2011 pelo presidente, após ratificação pelo Congresso, para entrar em vigor em 15 de março.

O Parlamento sul-coreano ratificou este acordo em novembro de 2011 após várias semanas de tensos debates e de manifestações de estudantes e trabalhadores – temerosos por seus empregos.

Os Estados Unidos são o terceiro sócio comercial da Coreia do Sul, depois de China e União Europeia. O comércio bilateral global de ambos os países foi em 2011 de 101 bilhões de dólares, contra 90,2 bilhões no ano anterior, segundo dados das alfândegas sul-coreanas.