Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Energia solar se beneficia de alta do preço da energia elétrica

Opção só não se mostra viável em três Estados brasileiros, entre eles, Amazonas

O aumento de 40% das tarifas cobradas pelas distribuidoras de energia elétrica no primeiro trimestre está abrindo espaço para a chamada geração de energia distribuída, principalmente a partir de painéis solares fotovoltaicos. A geração distribuída é a produção doméstica e em pequenas empresas de energia, a chamada microgeração.

De acordo com reportagem do Valor Econômico, a geração distribuída de energia solar já é economicamente viável em 23 Estados e no Distrito Federal. Ficam de fora apenas Amapá, Amazonas e Roraima, Estados cujo interessante econômico não é viável. O cálculo, feito pela consultoria PSR, leva em consideração o grau de radiação solar em cada região e a tarifa de energia de cada distribuidora.

LEIA TAMBÉM:

Geração própria de energia ainda depende de ‘boa vontade’ do governo

O levantamento mostra que, considerando as áreas cujas concessionárias de energia estão com as tarifas mais elevadas, há usinas solares que se pagam em menos de seis anos. Além disso, o diretor da PSR, responsável pelo estudo, conta que os módulos têm garantia de 20 anos ou mais.

“No sétimo ano em diante, o sistema está pago e o usuário se beneficia da economia de energia.” Outra medida que pode estimular o setor é a possível isenção do ICMS para a energia produzida por módulos solares.

Leia mais:

EPE projeta queda de 0,5% no consumo de energia no Brasil em 2015

Sem economia, reservatórios devem chegar a 10% em outubro