Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Empresas da África, Argentina e França administrarão aeroportos do Brasil

São Paulo, 6 fev (EFE).- Empresas da África do Sul, da Argentina e da França formam os consórcios vencedores nesta segunda-feira do leilão dos aeroportos das cidades de Guarulhos e Campinas, no estado de São Paulo, e de Brasília.

Os consórcios ganharam as concessões para modernizar e operar os aeroportos pelo período de 20 a 30 anos. O valor total do leilão foi de R$ 24,5 bilhões, quantia 347,9% superior ao mínimo esperado pelo governo brasileiro.

O aeroporto de Guarulhos, que atende a cidade de São Paulo e é o de maior movimento do Brasil, será administrado por um consórcio que tem entre seus sócios a operadora sul-africana Airports Company South Africa (ACSA).

O de Brasília terá participação da argentina Corporación América e o de Campinas, também no estado de São Paulo, da francesa Egis-Avia.

Em Guarulhos, a gestão será de 20 anos, em Brasília, de 25, e em Campinas, de 30. A concessão do aeroporto Governador André Franco Montoro, de Guarulhos, foi vencida pelo consórcio Invepar-ACSA, liderado pela brasileira Invepar Investimentos e Participações e Infraestrutura (90%) em sociedade com a operadora sul-africana ACSA (10%).

A ACSA opera os três principais aeroportos sul-africanos e em 2006 venceu a concessão para gerir o de Mumbai, na Índia. Este consórcio ofereceu R$ 16.213 bilhões de reais pela concessão, um valor 373,5% superior ao mínimo pedido pelo governo.

A disputa pela modernização e a operação do aeroporto de Viracopos, de Campinas, foi vencida pelo consórcio Aeroportos Brasil, composto pelas brasileiras Triunfo Participações e Investimentos (45%) e UTC Participações (45%), e pela operadora francesa Egis Airport Operation (Egisavia), com 10%.

O grupo ganhou com uma oferta de R$ 3.821 bilhões de reais, um número 159,75% superior a proposta mínima exigida.

O terceiro consórcio vencedor foi o Inframérica Aeroportos, que pagará R$ 4.501 bilhões pela concessão do aeroporto de Brasília, valor que supera em 673,39% o mínimo esperado.

Este consórcio, integrado pelo grupo brasileiro Infravix Participações (50%) e a operadora argentina Corporação América (50%), é o mesmo que em agosto passado obteve a concessão para a construção e operação do Aeroporto de São Gonçalo do Amarante, nos arredores da cidade de Natal, no Rio Grande do Norte, o primeiro terminal aéreo internacional privado no país.

Os onze consórcios qualificados para disputar o leilão apresentaram um total de 22 propostas (dez por Guarulhos, oito por Brasília e quatro por Campinas).

Participaram também da oferta operadores aeroportuários da Alemanha, Espanha, Estados Unidos, Holanda, México, Reino Unido, Cingapura e Suíça.

A privatização dos aeroportos tem por objetivo atrair investimentos para o setor e melhorar o transporte aéreo para a Copa do Mundo de 2014 e os Jogos Olímpicos de 2016. EFE