Clique e assine com até 92% de desconto

Emprego na zona do euro atinge pior nível desde 2006

Número de pessoas empregadas caiu 0,8% entre quarto trimestre de 2011 e 2012. Houve aumento de vagas apenas na Alemanha, em Luxemburgo e na Áustria

Por Da Redação 14 mar 2013, 12h29

O número de pessoas empregadas na zona do euro caiu para o nível mais baixo em quase sete anos nos três últimos meses de 2012, segundo dados da Eurostat. O nível de emprego nos 17 países do bloco diminuiu 0,3% no quarto trimestre do ano passado, na comparação com o terceiro trimestre, para 145,7 milhões de pessoas, já com ajustes sazonais. Esse é o menor nível desde o primeiro trimestre de 2006.

Na comparação com o mesmo período de 2011, quando havia registro de 146,8 milhões de empregados na região, houve queda de 0,8%, ou seja, mais de um milhão de pessoas da região perderam o emprego em 12 meses.

A quantidade de pessoas empregadas na zona do euro atingiu o pico de 150,4 milhões no primeiro trimestre de 2008, poucos meses antes da crise financeira global chegar a seu pior ponto, com o colapso do banco de investimento norte-americano Lehman Brothers.

A Eurostat afirmou que, na comparação trimestral, a quantidade de empregados diminuiu 2% em Portugal, 1,4% na Espanha, 1,3% no Chipre e 0,4% na Itália. Não há dados disponíveis sobre Grécia e Irlanda, outros países bastante afetados pela crise de dívida soberana europeia. Por outro lado, houve crescimento de 0,1% no emprego na Alemanha, 0,6% em Luxemburgo e 0,2% na Áustria.

Leia mais:

Desemprego bate recorde na Eurozona: 11,9%

(com Estadão Conteúdo)

Continua após a publicidade
Publicidade