Clique e assine a partir de 8,90/mês

Emergentes têm que se preparar para alta de juros nos EUA, diz Lagarde

Diretora-gerente do FMI teme repetição do "furor de retirada gradual de estímulos" que afetou mercados emergentes em 2013

Por Da Redação - 17 mar 2015, 09h58

Os mercados emergentes têm que se preparar para o impacto de uma alta na taxa de juros dos Estados Unidos, que pode surpreender tanto pelo seu momento quanto pelo ritmo, afirmou a diretora-gerente do Fundo Monetário Internacional (FMI), Christine Lagarde, nesta terça-feira, na Índia. Em discurso em Mumbai, Lagarde alertou que o chamado “furor de retirada gradual de estímulos” que afetou os mercados emergentes em 2013 pode se repetir.

Naquela época, o então dirigente do Federal Reserve (Fed, o banco central americano) Ben Bernanke deixou investidores atribulados quando falou sobre as condições que poderiam levar a autoridade monetária a reduzir suas compras de títulos de 85 bilhões de dólares por mês, cujo objetivo era estimular a economia.

Leia mais:

‘Programa de estímulo europeu já deu certo’, diz Lagarde

Mundo cresce mais com queda do petróleo, aponta FMI

O temor de Lagarde é de que vulnerabilidades se revelem durante o período de reversão de política monetária expansionista, que é o que está prestes a ocorrer nos EUA, e que este movimento crie volatilidade no mercado. “Nós já tivemos uma amostra disse durante o furor de retirada gradual de estímulos. Temo que isso possa não ser um episódio isolado”, acrescentou.

Lagarde disse que economias avançadas podem ajudar a reduzir o risco de volatilidade no mercado ao comunicar claramente as intenções de política. Mas ponderou que os mercados emergentes que atacaram as vulnerabilidades econômicas se deram melhor em 2013.

“Em particular, crescimento mais alto do PIB, posições mais fortes de conta corrente externa, inflação mais baixa e mercados financeiros mais líquidos ajudaram a amortecer a volatilidade do mercado”, disse Lagarde.

(Com agência Reuters)

Continua após a publicidade
Publicidade