Clique e Assine a partir de R$ 9,90/mês

Em revisão, PIB americano no segundo trimestre subiu 0,1 ponto percentual

Variação do PIB em relação ao trimestre anterior foi de 6,6%; pedidos de auxílio desemprego cresceram em 4 mil pessoas e superaram a expectativa

Por Luisa Purchio 26 ago 2021, 12h05

A segunda revisão do PIB americano do segundo trimestre, divulgada hoje pelo Departamento de Análises Econômicas (BEA, na sigla em inglês), apontou uma alta anual de 6,6% em relação ao trimestre anterior. A revisão foi positiva em 0,1 ponto percentual em relação aos números divulgados em julho, porém ficou 0,1 ponto percentual abaixo da expectativa dos economistas da Bloomberg.

De acordo com o BEA, o número revisado refletiu “a alta do investimento fixo não residencial e das exportações, que foram parcialmente compensadas por revisões em baixa no investimento privado em estoque, investimento fixo residencial e gastos do governo estadual e local. As importações, que são uma subtração no cálculo do PIB, foram revisadas para baixo”.

Em nota, o BEA afirmou ainda que a alta anual de 6,6% refletiu “a recuperação econômica contínua, a reabertura de estabelecimentos e a resposta contínua do governo relacionada à pandemia de COVID-19”, e foram impactados por benefícios governamentais. “No segundo trimestre, os pagamentos de assistência governamental na forma de empréstimos a empresas e subvenções aos governos estaduais e locais aumentaram, enquanto os benefícios sociais para as famílias, como os pagamentos de impacto econômico direto, diminuíram”, disse o comunicado.

Auxílio desemprego

Dados divulgados na manhã desta quinta-feira, 26, pelo Departamento de Trabalho dos Estados Unidos mostraram que o número de pessoas que solicitaram auxílio desemprego na última semana foi de 353 mil. São 4 mil acima da semana anterior e ficou também acima da expectativa dos analistas da Bloomberg, que estimavam 350 mil solicitações.

Em meio à recuperação do mercado de trabalho, aos avanços da vacinação e às preocupações com a variante delta da Covid-19 na economia, o número de pedidos havia chegado, na semana passada, ao menor nível desde o início da pandemia, porém voltou a subir ligeiramente nesta semana. Apesar da leve alta, o ritmo de criação de empregos continua positivo, fundamental para os rumos da política monetária do Fed.

Continua após a publicidade

Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Impressa + Digital

Plano completo de VEJA. Acesso ilimitado aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias 24h e revista digital no app (celular/tablet).

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Receba semanalmente VEJA impressa mais Acesso imediato às edições digitais no App.



a partir de R$ 39,90/mês

MELHOR
OFERTA

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e ter acesso a edição digital no app, para celular e tablet. Edições de Veja liberadas no App de maneira imediata.

a partir de R$ 9,90/mês

ou

30% de desconto

1 ano por R$ 82,80
(cada mês sai por R$ 6,90)