Clique e Assine a partir de R$ 7,90/mês

Em parceria com a Kopenhagen, Lindt abrirá lojas próprias no Brasil

Empresa anunciou nesta terça-feira uma joint-venture com a CRM para abrir boutiques e cafés de chocolate no país

Por Da Redação 11 mar 2014, 10h22

A produtora de chocolate Lindt & Spruengli firmou nesta terça-feira um contrato com o grupo brasileiro CRM, dono das marcas Kopenhagen e Chocolates Brasil Cacau, formando uma joint venture batizada de L&S Holding. O acordo permitirá à marca suíça abrir lojas próprias no Brasil, com o objetivo de tornar-se líder no mercado de chocolates finos internacionais no país. A divisão de varejo global do grupo, com cerca de 200 lojas, boutiques e cafés de chocolate Lindt, está crescendo de forma constante e representou cerca de 9% das vendas do grupo em 2013.

A aliança faz parte da estratégia da Lindt de se expandir geograficamente e, com isso, aumentar entre 6% e 8% suas vendas neste ano. Esta será a primeira subsidiária da Lindt na América do Sul. A L&S Holding terá uma participação de 51% da Lindt e 49% da CRM.

Leia mais:

Depois de ‘saldão’, Eike vai leiloar itens de escritório

Jeff Bezos, da Amazon, injeta mais US$ 12 milhões na Business Insider

Em comunicado, a fabricante suíça afirmou que a parceria deve ser entendida “como um sinal claro do compromisso de longo prazo da Lindt & Sprüngli com o quinto maior mercado de chocolate do mundo, além da sua intenção de continuar a se expandir em novos mercados emergentes”. Contudo, a companhia esclareceu que continuará com a colaboração da Aurora, distribuidora de seus produtos no Brasil, no comércio varejista.

A empresa também disse na Suíça esperar uma recuperação lenta do ambiente econômico em 2014, ressalvando que os altos preços das matérias-primas e as pressões de preços no varejo continuarão representando desafios.

No ano passado, o lucro líquido da Lindt & Spruengli subiu 23,7%, a 303 milhões de francos suíços (345 milhões de dólares). A margem operacional aumentou para 14%, ante 12,4% no ano anterior.

(com agência Reuters)

Continua após a publicidade

Publicidade