Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Após guerra aos canudos, Mercado Livre adere às embalagens de bioplástico

O material é menos prejudicial ao meio ambiente e consegue decompor-se em poucas semanas. Atualmente, a empresa usa embalagens de plástico e papelão

Após a guerra aos canudinhos, as empresas passam a se preocupar com suas embalagens. O Mercado Livre anunciou nesta quinta-feira que vai incorporar embalagens de bioplástico em seus negócios no Brasil e na Argentina. O material é menos prejudicial ao meio ambiente, pois consegue se decompor em poucas semanas – o plástico convencional leva até 500 anos para se desfazer.

A iniciativa passa a valer a partir de outubro, quando a empresa vai receber um lote de 4 milhões de embalagens de bioplástico. Segundo o Mercado Livre, foram investidos 1,2 milhão de dólares na mudança. Até então, a companhia fazia uso de embalagens de plástico e papelão.

Após o primeiro lote, a empresa avaliará os impactos da nova embalagem em suas operações. Apesar de ser o primeiro e-commerce a adotar a embalagem, o Mercado Livre não é a primeira companhia a anunciar medidas em favor do meio ambiente. Até 2020, o Starbucks quer banir os canudinhos de plástico de todas as suas unidades. O McDonald’s também anunciou medida parecida: no Brasil, a empresa vai deixar de entregar os canudos aos clientes.

O Mercado Livre também conta com outras medidas para reduzir o impacto ambiental, como o investimento em energias renováveis e o uso de papelão em envios mais frágeis. Em breve, a empresa também vai dar início a um programa de carros elétricos em sua operação logística no Brasil e Argentina.