Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Emprego reage em fevereiro, e Brasil tem maior criação de vagas em 5 anos

Segundo o Caged, país abriu 173.139 postos no mês; governo vê “retomada consistente” do mercado de trabalho

O Brasil abriu 173.139 vagas em fevereiro, segundo dados divulgados pelo Ministério da Economia nesta segunda-feira, 25. O resultado decorreu de 1.453.284 admissões e 1.280.145 demissões, de acordo com o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged). Foi o terceiro mês consecutivo de saldo positivo nas contratações com carteira assinada e o melhor resultado para fevereiro desde 2014 (260.823).

O estoque do emprego formal alcançou 38,6 milhões de postos de trabalho. Em 2019, o saldo de geração de empregos formais chegou a 211.474. Nos 12 meses terminados em fevereiro, foram criados 575.226 postos de trabalho.

O resultado de fevereiro é o dobro do registrado em fevereiro de 2018, quando foram gerados 61.188 postos. Em janeiro, o saldo foi de 34.313 empregos. No acumulado dos dois primeiros meses do ano, o saldo de 2019 chega a 207,4 mil, superior em 68,4 mil ao do mesmo período de 2018 (139 mil) e em 130,9 mil ao de 2017 (76,4 mil). Esse resultado representa um crescimento de 49,2% na abertura de postos de trabalho, em relação ao acumulado do mesmo período de 2018, e de 171,2%, em relação ao de 2017.

Segundo o secretário especial de Previdência e Trabalho do Ministério da Economia, Rogério Marinho, as altas consecutivas mostram uma “retomada consistente” do emprego no país.

“Nossa expectativa é a de que essa retomada se mantenha nos próximos meses, principalmente porque a economia vai bem. Esse número de empregos gerados no mês de fevereiro é uma demonstração de que as mudanças propostas –como flexibilidade, desburocratização, uma visão mais liberal da economia– passam confiança à economia real no processo de retomar as contrações”, explicou.

O resultado de fevereiro de 2019 está relacionado em boa parte à maior geração de empregos nos setores da indústria de transformação e construção civil. Esses setores vinham apresentando uma retomada mais lenta do que os setores de serviços e comércio.

Setores

Em fevereiro, o saldo de emprego foi positivo em sete dos oito setores econômicos, com destaque para os setores de serviços, que abriu 112.412 postos de trabalho e teve saldo positivo em todos os seis subsetores, com crescimento de 0,65%. A indústria de transformação também foi destaque, com 33.472 novos postos formais, saldo positivo em 11 dos 12 subsetores e expansão de 0,46%.

Outros setores de destaque foram a administração pública, que registrou uma expansão de 1,34%, com geração de 11.395 postos no mês, e a construção civil, que criou 11.097 postos, uma expansão de 0,56%. Além deles, o comércio registrou o primeiro saldo positivo para o mês de fevereiro desde 2015 (5.990 empregos) e teve expansão de 0,07%. O saldo foi negativo apenas na agropecuária, com redução de 3.077 postos de trabalho, em razão do período de entressafra.