Clique e Assine por somente R$ 2,50/semana

Em dia fraco, BM&FBovespa fecha em alta de 0,9% puxada por OGX

Volume de negociações foi baixo devido à expectativa de investidores pela reunião do Copom, que termina na noite desta quarta

Por Da Redação 10 jul 2013, 18h01

A BM&FBovespa fechou em alta nesta quarta-feira, em dia de fraco volume de negócios, com investidores na expectativa pela decisão sobre a taxa básica de juros brasileira e avaliando a ata da última reunião do Federal Reserve, o banco central dos Estados Unidos.

O Ibovespa fechou em alta de 0,9%, a 45.483 pontos, com operadores citando movimentos de ajuste após o feriado em São Paulo na véspera, quando as ações globais avançaram. O giro do pregão foi de 5,5 bilhões de reais, abaixo da média diária de 2013, de cerca de 7,9 bilhões de reais. “Tivemos um dia de correção depois do feriado, mas o mercado está apático, talvez pela falta de notícias positivas para o Brasil”, disse Rogério Oliveira, especialista em renda variável da Icap Brasil.

Na máxima da sessão, o Ibovespa chegou a subir 2%, mas o movimento perdeu força à tarde, um pouco depois da divulgação da ata do Federal Reserve (Fed, o banco central americano). O documento mostrou que a autoridade monetária dos Estados Unidos quer mais garantias de recuperação do emprego no país antes de reduzir seu programa de compra de ativos. No entanto, o consenso entre as autoridades do Fed é de começar a diminuir em breve as medidas de estímulo econômico.

Leia também:

Atuação do BC e ata do Fed não conseguem conter alta do dólar

Continua após a publicidade

Segundo o analista Felipe Rocha, da Omar Camargo Corretora, o cenário continua bastante incerto para a bolsa brasileira, com investidores ainda na expectativa sobre os próximos passos da política monetária no país. O Comitê de Política Monetária (Copom) anuncia na noite desta quarta-feira, após dois dias de reunião, sua decisão sobre a taxa Selic, com o mercado estimando uma elevação de 0,5 ponto porcentual do juro básico do país, para 8,5% ao ano.

Nesta sessão, a petroleira OGX foi o destaque de alta do Ibovespa, com operadores citando a notícia de que o grupo EBX, de Eike Batista, confirmou a reestruturação de seu acordo com o Mubadala, fundo soberano de Abu Dhabi, reduzindo a dívida da holding com o investidor.

Ainda em meio à reestruturação do grupo, a OGX fez consulta à Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) sobre a possibilidade de dar como garantia o óleo de Tubarão Martelo para os direitos adquiridos no último leilão de áreas de exploração.

Copel também subiu forte na sessão, após o órgão regulador do setor elétrico, Aneel, aprovar o aumento médio de 9,55% neste ano, deixando o restando do reajuste médio de 14,61% para entrar no cálculo da tarifa de 2014. Em sentido oposto, as ações do grupo de telefonia Oi e da construtora e incorporadora PDG Realty ficaram entre as principais baixas do índice.

(Com Reuters)

Continua após a publicidade
Publicidade