Assine VEJA por R$2,00/semana
Continua após publicidade

Em desaceleração, China cresce 7,4% no primeiro trimestre

Mesmo tendo o resultado mais fraco desde o terceiro trimestre de 2012, Produto Interno Bruto do país asiático superou ligeiramente as expectativas do mercado

Por Da Redação
16 abr 2014, 03h47

O Produto Interno Bruto (PIB) da China cresceu 7,4% no primeiro trimestre na comparação com o mesmo período do ano anterior, desacelerando frente ao crescimento de 7,7%, registrado entre outubro e dezembro de 2013, informou o Escritório Nacional de Estatísticas do país. Esse foi o ritmo mais fraco de crescimento para um trimestre nessa base de comparação desde o terceiro trimestre de 2012, além de ser o segundo trimestre consecutivo de desaceleração.

Leia mais:

China aumenta austeridade para gastos públicos

Premiê da China tenta acalmar investidores globais

Continua após a publicidade

O resultado, no entanto, superou ligeiramente as expectativas do mercado. Previsões de dezesseis analistas consultados pelo Wall Street Journal indicavam um crescimento de 7,3% para o gigante asiático. Entre janeiro e março deste ano, a economia chinesa cresceu 1,4% frente ao trimestre imediatamente anterior. Nos três últimos meses de 2013, o crescimento havia sido de 1,7%, na mesma base de comparação.

Nos últimos meses, as autoridades chinesas se concentraram em aspectos como o nível de emprego e a renda da população, a grande prioridade para garantir a estabilidade social no país. A China também vem realizando reformas pró-mercado para conseguir que seu modelo econômico dependa menos das exportações e da demanda externa e mais do consumo interno.

Artigo: Um caminho saudável para o crescimento do consumo chinês

Reação – Porta-voz do Escritório Nacional de Estatísticas, Sheng Laiyun destacou a “estabilidade” do mercado de trabalho e mostrou tranquilidade diante do resultado do PIB. “A economia no conjunto progrediu em uma margem apropriada, enquanto seguem os ajustes estruturais, as transformações e as melhorias (do modelo econômico)”, comentou. Após um crescimento de 7,7% em 2012 e 2013 – nível nunca visto desde 1999 -, Pequim traçou para 2014 um objetivo de 7,5%, que se confirmado será o índice de crescimento mais baixo do gigante asiático em quase 25 anos.

Números – Em outros dados divulgados pelo órgão oficial chinês, a produção industrial teve crescimento de 8,8% em março na comparação com o mesmo período do ano anterior e em leve aceleração sobre a alta de 8,6% em fevereiro. Já as vendas no varejo registraram alta de 12,2% em março ante o mesmo período do ano anterior, acelerando em relação ao crescimento de 11,8% em fevereiro.

(Com Estadão Conteúdo, EFE e France-Presse)

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

O Brasil está mudando. O tempo todo.

Acompanhe por VEJA.

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou

Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 39,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.