Clique e Assine a partir de R$ 9,90/mês

Em 2020, haverá mais pessoas no mundo com celulares que com eletricidade, água e carros

Projeção foi feita pela empresa de tecnologia Cisco, que prevê que número de telefones móveis chegará a 5,4 bilhões daqui a quatro anos

Por Da Redação 14 fev 2016, 09h55

Os dispositivos móveis estão ganhando a batalha: sua proliferação no mundo foi tanta que em 2020 o número de pessoas que terá pelo menos um deles será maior que o que contará com eletricidade, água potável e automóveis, segundo as últimas previsões da empresa de tecnologia Cisco.

Os usuários de dispositivos móveis, incluindo os “phablets” (híbrido entre telefone e tablet), chegarão naquele ano aos 5,4 bilhões, 70% da população estimada para esse ano, indica o estudo “Visual Networking Index – Global Mobile Data Traffic Forecast”, publicado recentemente pela empresa americana. O número é superior às projeções internacionais sobre o acesso a alguns serviços públicos, como eletricidade (5,3 bilhões) e água potável (3,5 bilhões), ou de outros bens de consumo como os automóveis (2,8 bilhões), segundo a companhia.

A Cisco calcula que em cinco anos haverá 11,6 bilhões de celulares, dispositivos e conexões, incluindo 8,5 bilhões de telefones pessoais, frente a 7,9 bilhões em 2015. Deles, 67% serão “inteligentes”, contra 36% em 2015.

Leia também:

Fraqueza da economia global faz nova vítima: os bancos

Continua após a publicidade

Ninguém imaginava que, desde a chegada no ano 2000 do primeiro telefone celular com câmera, o impulso chegasse a tal ponto que, como prevê a Cisco, sejam em cinco anos os principais responsáveis pela maior quantidade do tráfego na internet, com 72% do total.

Por regiões, a América do Norte vai continuar liderando em 2020 o maior número de conexões por telefones (com 95% de seus registros), seguida de perto pela Europa Oriental (86%), Europa Ocidental e Central (84%), Ásia e Pacífico (72%), América Latina (70%) e Oriente Médio e África (52%).

Esse aumento da cobertura móvel e da demanda por conteúdo nessas plataformas impulsionará também um crescimento dos usuários duas vezes mais rápido que o da população mundial até 2020, segundo a companhia. “A mobilidade é o meio predominante que está permitindo a transformação digital global”, destacou em comunicado Doug Webster, vice-presidente de Marketing para Provedores de Serviços da empresa americana.

A isso é preciso se somar que, segundo indica o relatório, os smartphones, os computadores portáteis, os tablets e os “phablets” serão os que vão dominar com 98% o eventual tráfego móvel de internet.

(Com EFE)

Continua após a publicidade

Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Impressa + Digital

Plano completo de VEJA. Acesso ilimitado aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias 24h e revista digital no app (celular/tablet).

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Receba semanalmente VEJA impressa mais Acesso imediato às edições digitais no App.



a partir de R$ 39,90/mês

MELHOR
OFERTA

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e ter acesso a edição digital no app, para celular e tablet. Edições de Veja liberadas no App de maneira imediata.

a partir de R$ 9,90/mês

ou

30% de desconto

1 ano por R$ 82,80
(cada mês sai por R$ 6,90)