Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Eletronuclear: novas usinas podem atrasar em 1,5 ano

Por Da Redação 8 fev 2012, 12h01

Por Glauber Gonçalves

Rio de Janeiro – O plano para a construção de novas usinas nucleares no Brasil deve atrasar em um ano a um ano e meio, segundo estimativa feita hoje pelo assistente da presidência da Eletronuclear, Leonam dos Santos Guimarães. A previsão inicial era de que a definição do plano estivesse pronta em maio de 2011, mas o acidente nuclear de Fukushima, no Japão, acabou adiando o processo. “Poderíamos atribuir um atraso de um ano a um ano e meio para as novas usinas”, disse Guimarães.

Durante o terceiro seminário de energia nuclear realizado no Rio de Janeiro, o executivo afirmou que o grupo vencedor da licitação das obras de montagem eletromecânica da usina de Angra III deve assumir o projeto em maio deste ano. “A expectativa é de que em maio a empreiteira (vencedora) já esteja no canteiro”, afirmou.

A montagem eletromecânica foi dividida em dois contratos: um para atividades de edificação e estrutura dos sistemas convencionais da usina e outro para o sistema de geração de vapor por fonte nuclear. As empresas poderão participar do leilão de forma isolada ou em consórcio com até quatro empresas.

A Eletronuclear, responsável pelo empreendimento, estima o custo dos serviços em R$ 1,93 bilhão. No evento, Guimarães reafirmou que a previsão é de que a usina entre em operação em dezembro de 2015.

Continua após a publicidade
Publicidade