Clique e assine a partir de 8,90/mês

Ele criou um “YouTube sob demanda” para as empresas

Sem entender de tecnologia, o mineiro Gustavo Caetano fundou a Samba Tech, a maior distribuidora de vídeos online do país. Seu desafio agora é crescer com novos negócios

Por Raquel Grisotto - 29 out 2012, 08h54

“O desafio é se reinventar o tempo todo, mesmo se o negócio estiver dando certo”, afirma Gustavo Caetano, da Samba Tech

A capacidade de enxergar uma oportunidade e criar uma solução para atender a uma nova demanda bem antes dos outros é um traço comum a muitos empreendedores de sucesso. Também é dessa maneira que Gustavo Caetano, de 30 anos, vem forjando sua história à frente da Samba Tech, empresa de tecnologia de Belo Horizonte especializada na distribuição de vídeos online. Criada em 2004, quando Caetano era ainda estudante, a Samba Tech vem crescendo velozmente e deve faturar 20 milhões de reais até o fim deste ano – o dobro de 2011 (veja quadro com alguns números da empresa). “O desafio é se reinventar o tempo todo, mesmo se o negócio estiver dando certo”, diz o jovem empresário. “É preciso estar atento aos movimentos do mercado.”

Caetano abriu a empresa para revender joguinhos de celular. Mudou de rumo ao perceber que muitos dos executivos com os quais conversava reclamavam da mesma coisa: era sempre a “maior dor de cabeça” toda vez que precisavam distribuir conteúdo em formato eletrônico a um público específico (clientes ou fornecedores, por exemplo). “O que eles queriam, sem saber, era um YouTube personalizado”, diz Caetano. “Entendi que, se eu conseguisse oferecer essa solução, as chances de crescimento da Samba Tech seriam muito maiores.”

Leia mais:

Empreendedor vive bom momento para investir em inovação

ESPM e Aceleratech oferecem apoio e dinheiro a empreendedores

Brasileiro leva rede de escolas da periferia para o mundo

Hoje, a Samba Tech é uma espécie de YouTube feito sob demanda. “Cuidamos de todo o processo de armazenamento e transmissão de conteúdo digital dos clientes. Só que fazemos a distribuição de forma organizada e apenas para públicos específicos.” Com esse modelo, a Samba Tech conquistou clientes importantes. Entre as empresas atendidas estão a TIM e O Boticário, que usam a tecnologia para treinamento de funcionários de vendas e franqueados por todo o país. Também universidades usam a ferramenta para ministrar cursos à distância. Caetano também cuida do conteúdo digital de vários grupos de comunicação, que precisam armazenar um grande volume de dados. “Nós buscamos servidores em algum lugar do mundo e gerenciamos a transmissão”, explica.

Em 2011, a Samba Tech transmitiu mais de 100 milhões de vídeos – é a maior empresa desse segmento no país. “Nossas perspectivas de expansão são muito boas”, diz Caetano. “Mas não dá para se acomodar.”

A evolução da Samba Tech

Faturamento (em reais)

2008 2 milhões

Continua após a publicidade

2010 10 milhões

2012 20 milhões*

*estimativa

Vídeos distribuídos

2010 20 milhões

2012 100 milhões

Fonte: Samba Tech

“Cara-de-pau” – Desperdiçar uma boa oportunidade definitivamente não combina com a personalidade do empresário. “Sou meio cara-de-pau”, diz Caetano. Para dar início à Samba Tech, ele ligou para todos os amigos ricos do pai pedindo ajuda. Conseguiu convencer um deles a investir 100 000 dólares no negócio. Com o dinheiro, conseguiu a representação de uma empresa britânica que fazia jogos de celular. “Na época, quase não havia concorrência e as vendas cresceram rapidamente”, conta Caetano.

Ele confessa que não entendia nada de tecnologia. Mas isso não o impediu de transformar a então revenda no negócio de agora. “Hoje, conto com uma equipe de excelentes profissionais e sei dividir tarefas, deixando as coisas que nunca soube fazer para os especialistas.” No início, para montar o protótipo do que seria a nova Samba Tech, Caetano teve ajuda de um recém-formado, versado em sistemas. “Por quase um ano, éramos apenas quatro pessoas tocando toda a operação”, afirma Caetano. Em 2008, um aporte de 3 milhões de dólares da FIR Capital – gestora de fundos de capital empreendedor (venture capital) – deu o fôlego necessário para o negócio deslanchar.

Tema em foco: Pequenas e Médias Empresas

Novos negócios – Hoje, o principal desafio de Caetano tem sido crescer em novas frentes. “Queremos diversificar as fontes de receitas”, diz ele. Há alguns meses, Caetano criou a Samba Adds, com o objetivo de buscar anunciantes interessados em aparecer nos vídeos transmitidos pela Samba Tech. “Os ganhos serão divididos com os clientes”, diz. Outra iniciativa é a oferta de soluções para que as agências de publicidade possam enviar as campanhas diretamente às emissoras de TV via internet. “Fechamos parceira com uma empresa australiana, que já tem experiência nessa atividade”, explica Caetano.

Outros planos – Os planos de Caetano para a Samba Tech consideram uma possível abertura de capital da empresa, em alguns anos, ou ainda a venda de parte do negócio a um grupo estratégico. “Foi isso que aconteceu com o Buscapé e deu certo”, diz Caetano. “Empresas de tecnologia, num determinado momento, precisam de apoio financeiro e de conhecimento para expandir ainda mais”, diz o empresário, mostrando que, uma vez mais, está de olho no futuro.

Continua após a publicidade
Publicidade