Clique e assine a partir de 8,90/mês

‘Efeito Aécio’ na Bolsa faz Petrobras retomar posto de maior empresa da América Latina

Estatal voltou a encabeçar lista de companhias mais valiosas da região, ao encerrar o pregão de segunda-feira avaliada em US$ 116,3 bilhões

Por Da Redação - 14 out 2014, 15h56

A Petrobras voltou a ser a maior empresa do Brasil em valor de mercado da América Latina nesta semana. Após alta de 10% de suas ações na BM&FBovespa no pregão de segunda-feira, a estatal terminou o dia valendo 116,3 bilhões de dólares, segundo dados da Economatica. Com isso, a Ambev, avaliada em 105,5 bilhões de dólares, retornou à segunda posição do ranking.

No dia 30 de setembro, a Ambev liderava a lista, com valor de mercado avaliado em 102,5 bilhões de reais, seguida da Petrobras, com 93,7 bilhões de reais. Desta data até segunda, a petroleira registrou ganho de 22,6 bilhões de reais, enquanto a Ambev, de 2,7 bilhões de reais.

O crescimento do valor de mercado da Petrobras foi impulsionado pelo fortalecimento do candidato Aécio Neves (PSDB) no cenário eleitoral. O mercado prefere Aécio pelo fato de o tucano prometer uma política econômica mais ortodoxa, aliada a menor interferência em estatais, como a Petrobras. As denúncias de corrupção na Petrobras durante a gestão petista fazem com que os investidores operem de forma especulativa sempre que há indícios de que a presidente Dilma tem pior desempenho nas pesquisas eleitorais.

Leia também:

O futuro incerto da Petrobras após doze anos de PT

Com Dilma, Petrobras perdeu R$ 162 bi – saiba o que dá para comprar com esse valor

Continua após a publicidade

Levantamentos recentes realizados pelo Ibope e Datafolha mostram o candidato tucano em situação de empate técnico com a rival petista Dilma Rousseff (PT) no segundo turno das eleições. Neste fim de semana, Aécio recebeu o apoio da ex-candidata Marina Silva e da família do ex-candidato Eduardo Campos.

Entre as 10 maiores da América Latina, há seis empresas brasileiras, três mexicanas e uma colombiana. O setor bancário é o que tem mais representantes, com três instituições, incluindo Itaú Unibanco e Bradesco, que ocupam a quarta e quinta posição, respectivamente.

Leia mais:

Petrobras tem a maior queda em valor de mercado na América Latina, aponta Economatica

Com Dilma, Petrobras perde ‘um Bradesco’ em valor de mercado

Bovespa – Ainda conforme a Economatica, entre seis países da América Latina (Brasil, Chile, Peru, Colômbia, México e Argentina) e Estados Unidos, a bolsa brasileira é a única que apresentou crescimento em valor de mercado de empresas negociadas em outubro. No dia 30 de setembro, a Bovespa tinha 959,5 bilhões de dólares contra 1,02 trilhões de dólares no dia 13 de outubro, crescimento de 68,0 bilhões de dólares.

No mesmo período, o mercado norte-americano teve queda de valor de mercado de 1,16 trilhões de dólares, valor superior ao de todas as empresas brasileiras de capital aberto. No dia 30 de setembro as empresas americanas tinham valor de mercado avaliado em 22,13 trilhões de dólares contra 20,96 trilhões de dólares no dia 13 de Outubro.

Ranking das empresas mais valiosas da América Latina
Nome Valor País
Petrobras US$ 116,37 Bilhões BRASIL
Ambev US$ 105,26 Bilhões BRASIL
America Movil US$ 84,05 Bilhões MÉXICO
Itaú Unibanco US$ 81,83 Bilhões BRASIL
Bradesco US$ 67,81 Bilhões BRASIL
Ecopetrol US$ 58,80 Bilhões COLÔMBIA
Vale US$ 56,42 Bilhões BRASIL
WalMart México US$ 42,64 Bilhões MÉXICO
GModelo US$ 40,44 Bilhões MÉXICO
10º Banco do Brasil US$ 39,17 Bilhões BRASIL
Continua após a publicidade
Publicidade