Assine VEJA a partir de R$ 9,90/mês.

Economistas reduzem estimativa de crescimento do PIB a 1,44%

Previsão anterior era de 1,50%. Para 2015, o mercado também espera um ritmo menor de expansão

Por Da Redação - 9 jun 2014, 10h40

Economistas de instituições financeiras reduziram as estimativas para o crescimento da economia brasileira neste ano, conforme mostrou o relatório semanal Focus, do Banco Central. A previsão para o crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) em 2014 passou de 1,50% na semana anterior para 1,44%. Para 2015, a expansão foi revisada de 1,85% para 1,80%.

Em relação à inflação, os economistas consultados mantiveram a projeção de 6,47% em 2014, mas ajustaram a perspectiva para o próximo ano a 6,03%, ante 6,01%. A inflação, medida pelo Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), desacelerou para 0,46% em maio e acumula alta de 6,37% em doze meses, bem próxima ao teto da meta oficial, de 6,5%. A informação foi divulgada na sexta-feira pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Com relação à Selic, taxa básica de juros, os economistas mantiveram a perspectiva de que ela encerrará o ano a 11% – mesmo patamar de hoje. Em sua última reunião, o Comitê de Política Monetária (Copom) manteve a taxa após um ano de elevações, acreditando que a inflação vai arrefecer. Para 2015, a estimativa é que a Selic finalize em 12%.

Leia mais:

Publicidade

Brasileiros estão insatisfeitos e preocupados com a economia, diz pesquisa

Com investimento e consumo em baixa, PIB não tem força para crescer

IBGE revisa PIB de 2013: expansão de 2,3% para 2,5%

(com agência Reuters)

Publicidade