Clique e Assine VEJA por R$ 9,90/mês
Continua após publicidade

Economistas elevam pela terceira vez seguida projeção para inflação

Há uma semana, a mediana das previsões dos economistas estava em 4,28%, segundo o Boletim Focus, do Banco Central

Por Machado da Costa
Atualizado em 1 out 2018, 10h10 - Publicado em 1 out 2018, 09h25

Pela terceira semana seguida, economistas consultados pelo Banco Central (BC) elevaram suas projeções para a inflação deste ano, aproximando a expectativa do Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) do centro da meta de inflação. Agora, a mediana das projeções, apresentadas no Boletim Focus, desta segunda-feira, 1º, está em 4,3% para 2018. O centro da meta para este ano é de 4,5%. Há uma semana, a previsão estava em 4,28%.

A previsão para 2019 também foi revista para cima, de 4,18% para 4,2%. No próximo ano, a meta de inflação será de 4,25%. Já, para 2020, a projeção ficou estável em 4%, exatamente no centro da meta.

A previsão dos economistas para o dólar também mudou de uma semana para cá. Apesar de ser pequena a variação, a nova projeção é de 3,89 reais ao final deste ano, enquanto que há uma semana a expectativa era que a moeda americana encerrasse 2018 cotada a 3,90 reais.

Em sentido oposto caminhou a previsão do câmbio para 2019. Ela saiu de 3,80 reais para 3,83 reais. Em 2020, a expectativa é que o dólar encerre o ano cotado a 3,75 reais.

Continua após a publicidade

PIB e Selic

Em relação à economia, os economistas esperam que o país deve crescer 1,35% em 2018, mesma taxa de crescimento prevista na semana anterior. Eles também mantiveram a expectativa de crescimento de 2,5% para o índice em 2019, 2020 e 2021.

O boletim desta semana é o primeiro após a publicação da ata de reunião após o Comitê de Política Monetária (Copom) decidir, no dia 19 de setembro, manter a taxa básica de juros (Selic) em 6,5% ao ano. Segundo os economistas, os juros ficarão inalterados até o final do ano.

O cenário para os próximos anos, no entanto, muda. A expectativa é que a Selic seja elevada para 8% ao ano em 2019. Em 2020, a taxa Selic deve ficar em 8,19% ao final do ano. O número quebrado – incomum – aponta que ao menos metade dos 76 economistas que responderam a questionamento esperam uma elevação da Selic nesse ano.

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

Domine o fato. Confie na fonte.

10 grandes marcas em uma única assinatura digital

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de 9,90/mês*

ou
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de 49,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$118,80, equivalente a 9,90/mês.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.