Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Economistas diminuem projeção da inflação para 2019 para 3,87%

Analistas consultados pelo Banco Central cortaram a previsão pela quarta-vez seguida; expectativa de PIB, taxa de juros e câmbio permanece estável

Os analistas de mercado financeiro consultado pelo Banco Central diminuíram mais uma vez a previsão para a inflação oficial deste ano. Segundo previsões compiladas pelo Boletim Focus, divulgado nesta segunda-feira, 11, o Índice Nacional de Preços ao Consumidor (IPCA) deve fechar o ano em 3,87%. A previsão da semana anterior era de 3,94%.

Essa é a quarta semana consecutiva com revisão na expectativa de inflação para esse ano. Com isso, a projeção mercado segue abaixo da meta fixada para este ano, de 4,25%.

A meta tem um intervalo de tolerância que vai de 2,75% a 5,75%, fixada pelo Conselho Monetário Nacional (CMN).

Para alcançar a meta, o Banco Central eleva ou reduz a taxa básica de juros da economia (Selic). A previsão para a taxa básica de juros ficou estável, em 6,5%, menor valor da história e que está vigente atualmente.

Em 2018, a inflação oficial ficou em 3,75%, abaixo da meta de 4,5% mas dentro da margem de tolerância. 

Em relação a 2020, o mercado manteve em 4% sua estimativa de inflação, mesmo índice da meta central para o próximo ano. 

PIB e câmbio

Segundo os economistas consultados pelo Banco Central a previsão para o crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) é de 2,50%, mesma feita na semana anterior.  O PIB é a soma de todos os bens e serviços produzidos no país e serve para medir a evolução da economia.

A projeção do mercado para o câmbio também permaneceu estável. De acordo com os economistas, o dólar comercial deve terminar o ano cotado a 3,70 reais.