Clique e Assine por somente R$ 2,50/semana

Economista húngaro que ajudou a fundar o euro morre aos 86 anos

Mídia belga informou morte de Alexandre Lamfalussy nesta segunda. Ele foi o primeiro presidente do Instituto Monetário Europeu, órgão que precedeu o BCE

Por Da Redação 11 Maio 2015, 13h08

O economista Alexandre Lamfalussy, um dos fundadores da moeda única europeia, o euro, morreu, aos 86 anos no útlimo sábado, informou a mídia belga nesta segunda-feira. Nenhum outro detalhe da morte foi divulgado até o momento.

Lamfalussy deixou sua terra natal, a Hungria, após a Segunda Guerra Mundial, e se tornou cidadão belga. Em 1994, foi o primeiro presidente do Instituto Monetário Europeu, o órgão antecessor do Banco Central Europeu (BCE). Após 1997 foi substituído na função pelo holandês Wim Duisenberg, que se tornaria o primeiro presidente do banco que supervisiona a política monetária para a zona euro.

Leia mais:

A política arriscada do euro

Índice de ações da Europa atinge máxima em 15 anos

O economista também coordenou a implementação de um novo sistema concebido para simplificar a regulamentação do setor de serviços financeiros da União Europeia, conhecido como o processo Lamfalussy. Um de seus primeiros resultados foi a padronização da regulação dos serviços de investimentos, conhecida como Diretiva dos Mercados de Instrumentos Financeiros.

O economista estudou na Universidade Católica de Louvain, na Bélgica, e na Universidade Oxford, na Inglaterra. Foi professor na mesma universidade que estudou em Louvain e também na Universidade de Yale, nos Estados Unidos.

(Com agência Reuters)

Continua após a publicidade
Publicidade