Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Economia do setor público em novembro alcança R$ 29 bi graças a Libra e Refis

Superávit primário consolidado do governo central, estatais, Estados e municípios alcança 2,17% do PIB em 12 meses; resultado é o segundo melhor da série histórica e o melhor para meses de novembro

O setor público brasileiro, formado pelas contas do governo central, empresas estatais, Estados e municípios, registrou superávit primário de 29,745 bilhões de reais em novembro, informou o Banco Central nesta sexta-feira. Em 12 meses até novembro, a economia feita para pagamento de juros foi equivalente a 2,17% do Produto Interno Bruto (PIB), ou 103,2 bilhões de reais. Entre os principais fatores que contribuíram para o resultado estão o pagamento do bônus de Libra e o Refis da crise, cujas receitas entraram nas contas do Tesouro em novembro.

O resultado não superou o saldo positivo de janeiro deste ano, de 30,251 bilhões de reais – o maior da série histórica do BC, com início em dezembro de 2001. No entanto, é o melhor desempenho para os meses de novembro. Em outubro deste ano, o superávit foi de 6,188 bilhões de reais.

O esforço fiscal do mês passado foi composto por um superávit de 28,608 bilhões de reais do governo central (Tesouro Nacional, Banco Central e Previdência Social). Já os governos regionais (Estados e municípios) contribuíram para o resultado com um saldo de 949 milhões de reais no mês. Enquanto os Estados registraram um superávit de 1,074 bilhão de reais, os municípios tiveram déficit de 125 milhões de reais.

Acumulado – O esforço fiscal do setor público caiu 2,18% no acumulado dos 11 meses deste ano em relação a igual período de 2012. Conforme o Banco Central, as contas do setor público somaram 80,899 bilhões de reais, o equivalente a 1,85% do PIB. No mesmo período do ano passado, o superávit primário estava em 82,699 bilhões de reais ou 2,07% do PIB.

Graças à contribuição do bônus de Libra, de 15 bilhões de reais, e o Refis da crise, que ajudou a União a embolsar cerca de 20 bilhões de reais, o esforço fiscal subiu em relação a outubro, quando o superávit em 12 meses estava em 1,43% do PIB, ou 67,890 bilhões de reais.

Mesmo com toda a ajuda, a economia do governo para pagar os juros ainda está bem abaixo da meta cheia de 3,1% do PIB fixada para 2013.

O resultado nominal, que inclui o superávit primário e os juros nominais pagos, foi deficitário em 175 milhões de reais em novembro. No ano, o déficit nominal alcançou 143,9 bilhões de reais – alta de 31,9 bilhões de reais em relação ao mesmo período de 2012. Em doze meses, o déficit atingiu 140,8 bilhões de reais, o equivalente a 2,96% do PIB.

Leia também:

Desonerações penalizam superávit e seus benefícios ainda são desconhecidos