Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês

Economia do Japão entra em recessão após encolher 0,4% no 3º tri

Resultado fraco deve fazer com que o premiê Shinzo Abe adie o aumento de impostos e convoque eleições antecipadas para permanecer no poder

Por Da Redação 17 nov 2014, 10h46

A economia do Japão entrou em recessão, depois de encolher 1,6% no terceiro trimestre na comparação anual e 0,4% na comparação trimestral. O resultado frustrou as previsões de uma modesta recuperação econômica depois de uma severa retração entre abril e junho e consolidou as expectativas de um adiamento do aumento de impostos no próximo ano. Economistas consultados pela agência Reuters esperavam crescimento de 2,1% na comparação anual e de 0,5% na comparação trimestral.

O premiê Shinzo Abe disse que a divulgação do Produto Interno Bruto (PIB) nesta segunda-feira seria a chave para sua decisão sobre o o aumento do imposto sobre o consumo para 10% em outubro do próximo ano. A decisão era esperada para até o final deste ano. O segundo trimestre consecutivo de contração reforça os sinais de que o Japão tem mostrado recuperação lenta do consumo depois do primeiro aumento de impostos em abril.

O aumento do imposto de 5% para 8% em abril fez com que a terceira maior economia do mundo tivesse retração de 7,3% no segundo trimestre, a maior queda desde a crise financeira global.

Leia também:

Prévia do PIB avança 0,59% no 3º trimestre

PIB da zona do euro cresce 0,2% no 3º trimestre

Economia americana cresce 3,5% no 3º trimestre

Eleições antecipadas – Uma autoridade próxima ao premiê disse à Reuters que Abe também convocaria uma eleição geral, em uma tentativa de continuar no poder. A recessão é um grave revés para a política econômica de Abe, que deve anunciar na terça-feira a dissolução da Câmara Baixa do Parlamento e convocar eleições antecipadas para o próximo mês, dois anos antes do fim da legislatura. De acordo com a imprensa, a votação pode acontecer em 14 ou em 21 de dezembro. Mas com a ausência de uma oposição forte, analistas políticos acreditam que a vitória do partido de Abe é praticamente certa nas eleições antecipadas.

(Com agência Reuters e France-Presse)

Continua após a publicidade

Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Impressa + Digital

Plano completo da VEJA! Acesso ilimitado aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias 24h e revista digital no app, para celular e tablet.

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Receba semanalmente VEJA impressa mais Acesso imediato às edições digitais no App.

a partir de R$ 39,90/mês

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e ter acesso a edição digital no app, para celular e tablet.

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Edições da Veja liberadas no App de maneira imediata.

a partir de R$ 19,90/mês