Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês

Economia da zona do euro se enfraquece mais em maio

"Não seria surpresa ver uma contração do PIB (da zona do euro) de 0,5% no segundo trimestre, diz analista"

Por Da Redação 5 jun 2012, 07h50

Todas as principais economias da zona do euro estão agora em vários estágios de declínio, de acordo com pesquisas Índice de Gerentes de Compra (PMI, na sigla em inglês) que sugerem que até mesmo a Alemanha não está mais imune aos temores provocados por Grécia e Espanha.

O PMI baseia-se em dados compilados a partir de respostas mensais a questionários enviados a executivos encarregados por compras em milhares de empresas industriais. As respostas à pesquisa refletem a mudança, se houver alguma, no mês em curso comparado ao mês anterior, com base em dados coletados no meio do mês.

Os PMIs divulgados nesta terça-feira mostram que a vasta economia privada da zona do euro encolheu em maio no ritmo mais rápido em quase três anos, com forte recuo de encomendas às empresas.

Para a zona do euro, o PMI composto do instituto Markit, que realiza pesquisa junto às empresas, recuou para 46,0 em maio ante 46,7 em abril, menor leitura desde junho de 2009 e o quarto mês abaixo da marca de 50 que separa crescimento e contração. Ele ficou pouco alterado em relação a uma leitura preliminar.

Leia também

G7 convoca reunião de emergência com foco na Espanha

“Com base nesses números, não seria surpresa ver uma contração do PIB (da zona do euro) de 0,5% no segundo trimestre, embora uma queda ainda mais forte possa acontecer se o dado de junho decepcionar”, disse o economista chefe do Markit, Chris Williamson.

“As empresas reportaram que a atividade foi afetada pela alta incerteza política e econômica, que exacerbou a já fraca demanda tanto na zona do euro quanto em outros lugares.”

Continua após a publicidade

A Grécia se prepara para uma eleição em três semanas que pode determinar se o país continuará como membro da união monetária.

Com os mercados acionários em queda e títulos do governo considerados seguros em alta, os temores sobre a economia da zona do euro provocaram uma forte queda nas encomendas de novos negócios.

O índice composto do PMI para novos negócios recuou no mês passado para 44,6 ante 44,8 em abril, menor leitura desde junho de 2009.

Ao mesmo tempo em que mostraram uma leve contração na atividade alemã, as pesquisas não foram boa notícia para os países mais frágeis da zona do euro.

“A Itália parece estar enfrentando o pior, com seu PMI consistente com a queda do PIB em mais de 1% no segundo trimestre”, disse Williamson. “Entretanto, as quedas podem também superar 0,5% na França e na Espanha.”

Serviços – O PMI para o setor de serviços, que cobre de bancos a restaurantes, caiu para 46,7 em maio ante 46,9 em abril –menor leitura desde outubro do ano passado. O resultado representou uma melhora marginal em relação à leitura preliminar de 46,5.

O índice mostrou que os preços cobrados aos consumidores recuaram pelo sexto mês seguido, sugerindo que autoridades do Banco Central Europeu (BCE) podem se preocupar menos com a ameaça da inflação alta.

(Com agência Reuters)

Continua após a publicidade

Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Impressa + Digital

Plano completo da VEJA! Acesso ilimitado aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias 24h e revista digital no app, para celular e tablet.

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Receba semanalmente VEJA impressa mais Acesso imediato às edições digitais no App.

a partir de R$ 39,90/mês

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e ter acesso a edição digital no app, para celular e tablet.

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Edições da Veja liberadas no App de maneira imediata.

a partir de R$ 19,90/mês