Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

“É um kit felicidade para o Brasil”, diz Eike Batista

Programa anunciado por Dilma Rousseff contempla investimentos da ordem de R$ 133 bi em 25 anos para 7,5 mil km de rodovias e 10 mil km de ferrovias

A nata do empresariado que acompanhou, na manhã desta quarta-feira, o anúncio do pacote de concessões em rodovias e ferrovias elogiou a ação do governo. “É um kit felicidade para o Brasil”, disse Eike Batista, que afirmou ter visitado países árabes e asiáticos onde, segundo ele, empresários não entendem por que o Brasil não atrai mais investimentos externos.

“Os recursos no mundo estão ‘empossados’, rendendo zero ou negativo. Se é oferecido um bom projeto em um país grande e com recursos, os empresários vêm”, afirmou. O empresário ressaltou que, nos últimos 20 anos, houve pouco investimento na área de logística no país, levando em consideração o tamanho de nosso Produto Interno Bruto (PIB). “Ouso dizer que há uma carência de 300 bilhões de dólares”, estimou.

O presidente da Câmara de Gestão da Presidência e do grupo Gerdau, o empresário Jorge Gerdau, afirmou que o novo pacote preencherá espaços no setor de logística nacional. “No mundo inteiro, o investimento em infraestrutura é fator de aceleração da economia. É um fator muito importante para a competitividade. Foi assim com a China, por exemplo”.

Segundo Gerdau, estudos mostram que, nos países desenvolvidos, o custo com logística equivale a entre 6,5% e 8% do PIB. “No Brasil, esse custo sobe para 15%”, afirmou. “Com os investimentos aprovados nessas áreas, temos espaço para chegar aos padrões internacionais.”

De acordo com Gerdau, o próximo passo do governo será ampliar a concessão de aeroportos e também de realizá-la nos portos. O empresário afirmou que a estimativa é que o novo pacote saia no mês que vem.

Leia também:

Presidente da CSN pede pressa nas privatizações

PAC das Concessões deve aliviar gargalos no Rio