Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

É preciso promover a demanda nos EUA, afirma Lawrence Summers

Ex-diretor do conselho econômico da Casa Branca falou, em visita a São Paulo, sobre a situação da economia americana e também do Brasil

Para Summers, a economia depende de medidas fiscais que estimulem o consumo

O problema do baixo crescimento nos países desenvolvidos não está na falta de capacidade de produzir, mas na escassez de demanda, afirma Lawrence Summers, ex-diretor do conselho econômico da Casa Branca e ex-secretário do Tesouro americano. “Os números da economia americana continuam aquém do esperado. O desemprego está em alta e oa expansão continua muito lenta. É preciso promover o aumento da demanda, com uso da tecnologia para promover um crescimento sustentado”, disse durante o 6º Encontro Nacional da Indústria, promovido pela Confederação Nacional da Indústria (VCNI) e que reuniu cerca de 1,5 mil empresários em São Paulo nesta quarta-feira.

Sommers defendeu que uma eventual economia americana dependerá de medidas fiscais que estimulem o consumo das famílias, do aumento dos investimentos em infraestrutura, de políticas de incentivo à criação de empregos e ao crédito.

Na avaliação do ex-diretor, os países europeus também precisam tomar medidas mais efetivas para combater a crise. “Os efeitos da indecisão dos governos europeus serão severos para todos”, afirmou. “A economia mundial oferece grandes oportunidades, mas também grandes riscos”.

Brasil – Para ele, o Brasil, não está imune a crises externas, apesar de ter reconhecido que houve muito avanço na situação econômica do país. “Eu me lembro de, há alguns anos, colaborar com o então presidente Fernando Henrique Cardoso, além do ex-ministro da Fazenda Pedro Malan e o ex-presidente do Banco Central Armínio Fraga. Naquela época, há pouco mais de uma década, ninguém imaginava que o Brasil cresceria tanto e caminharia para um papel mais atuante no cenário internacional”, rememorou.

“O Brasil conta com uma enorme fonte de recursos naturais e, dentre os mercados emergentes, mostrou capacidade para inovação. Há fraquezas tradicionais, como a necessidade de melhora da infraestrutura. Mas há também muito espaço para crescer”, disse Summers.

Facebook – Além de sua atuação na economia, Larry Summers também teve uma pequena atuação em um capítulo da história da revolução digital. Na época em que era diretor da Universidade de Harvard, o então estudante Mark Zuckerberg teria roubado a ideia do site de rede social Facebook dos irmãos Cameron e Tyler Winklevoss. Ao tomar conhecimento do caso, Summers foi quem disse aos irmãos para irem com o caso à Justiça, pois achava que a universidade tinha outras questões mais urgentes a serem tratadas. “O Facebook tornou-se popular durante meu tempo como diretor de Harvard”, recordou.