Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Dólar sobe pela 5ª sessão seguida e supera os R$ 2,75

Moeda americana é impulsionada pela desvalorização do rublo, que reforça temores de que bancos centrais de emergentes apertem políticas monetárias

O dólar opera em alta pelo quinto dia consecutivo nesta terça-feira e, na máxima, chegou a encostar nos 2,75 reais por volta de 12h30. Por volta das 15h29, no entanto, o avanço da moeda americana desacelerou e ela voltou ao patamar de 2,73 reais. Não bastasse a desconfiança no front doméstico trazida por denúncias de corrupção envolvendo a Petrobras, o tom pessimista é fortalecido pela queda do preço do petróleo e pela desvalorização do rublo, com mínimas históricas.

A retração da moeda russa ocorre mesmo após o BC do país elevar o juro do país em 6,5 pontos porcentuais, para 17%, numa tentativa emergencial de conter a queda livre da divisa. Com isso, aumentam os temores de que outros mercados emergentes possam forçar seus bancos centrais a apertar as políticas monetárias para frear a queda de suas moedas.

Leia mais:

Ação da Petrobras cai mais de 7% e dólar vai a R$ 2,69

Dólar sobe a R$ 2,64, maior patamar em quase 10 anos

Dólar fecha a R$ 2,61 pela 1º vez desde abril de 2005

Também na manhã desta terça-feira, a Rússia informou que vai manter o atual nível de produção de petróleo em 2015 e concorda com a avaliação de integrantes da Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep) de que os mercados da commodity vão se corrigir por conta própria, afirmou hoje o ministro de Energia do país, Alexander Novak.

Nesta terça-feira, o preço do petróleo WTI para janeiro operava em queda de mais de 2%, a 54,44 dólares por barril, na Bolsa de Nova York, menor nível em mais de cinco anos.

(Com Estadão Conteúdo)