Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Dólar mantém alta e vai a R$ 3,69; casas de câmbio vendem moeda por R$ 4

Moeda americana chega a ser vendida a 4,03 reais no cartão pré-pago. Cotação do dólar turismo, em espécie, varia de 3,77 reais a 3,91 reais

dólar continua em alta nesta terça-feira, acompanhando o cenário externo, onde cresciam os temores de que os juros nos Estados Unidos podem subir mais do que o esperado neste ano, o que afetaria o fluxo global de capitais. Às 12h30, a moeda subia para 3,6722 reais. Na máxima do dia, o dólar foi cotado a 3,6922 reais.

O dólar turismo era vendido entre 3,77 reais e 3,91 reais nas casas de câmbio nesta terça-feira – valor que já inclui o IOF de 1,1%. No cartão pré-pago, o dólar era vendido por 4,03 reais – valor que já considera o IOF de 6,38%.

Nesta sessão, o dólar avançava para a máxima em cinco dias ante uma cesta de moedas, após dados robustos da economia americana e que reforçam apostas de que o Federal Reserve, banco central do país, pode elevar os juros mais do que o esperado neste ano. Taxas elevadas têm potencial para atrair para a maior economia do mundo recursos aplicados em outras praças financeiras, como a brasileira.

As vendas no varejo dos EUA subiram 0,3% em abril, em linha com as projeções, mas os dados de março foram melhorados, mostrando expansão de 0,8%.

Dica para quem vai viajar

Os turistas que têm viagem marcada para o exterior e ainda não compraram dólares vão ter que preparar o bolso. De acordo com especialistas, para aquelas pessoas que viajarão nos próximos dias, infelizmente não há muito o que fazer para se proteger da valorização da moeda americana. Mas para aqueles que ainda contam com alguns meses pela frente, o ideal é fracionar a compra do dólar para reduzir as perdas.

“Os viajantes devem fazer compras semanais ou mensais e anotar os valores que estão pagando. Quando encontrar cotação menor que a média, pode até comprar um pouco mais”, sugere Ricardo Rocha, professor de finanças do Insper. “O fato é que, adquirindo em pequenas quantidades, é possível obter um valor interessante no total”.

A alta da moeda americana, entretanto, não deve apavorar os turistas, afirma Roberto Indech, analista-chefe da Rico Investimentos. Para ele, a desvalorização do real diante do dólar significa que o brasileiro terá menos recursos para gastar no exterior, mas isso não deve ser motivo para cancelar uma viagem.

Os especialistas também indicam cautela para o uso do cartão de crédito no exterior, já que não se sabe ao certo qual será a cotação da moeda no fechamento da fatura. Em relação aos cartões pré-pagos, eles afirmam que pode ser uma boa alternativa do ponto de vista de segurança, mas é necessário atenção porque o IOF, nesse caso, é de 6,38%.

(Com Reuters)