Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Dólar fecha em R$ 2,56 e avança 3,4% na semana

Bolsa também teve dia de alta, de 1,1%. Notícias ruins nos Estados Unidos acabaram compensando incertezas com o governo brasileiro

O dólar fechou perto da estabilidade nesta sexta-feira. Depois de bater 2,59 reais durante o pregão, a moeda americana terminou em alta de apenas 0,11%, cotada a 2,5634 reais na venda. Assim como na semana pós-eleições, a moeda atingiu a maior cotação da moeda desde abril de 2005. Se, por um lado, as incertezas sobre a política econômica do segundo mandato de Dilma Rousseff pesaram a favor da subida do dólar, por outro, os dados piores sobre o mercado de trabalho americano pesaram contra.

No acumulado da semana, a divisa subiu 3,4%. Nas nove últimas semanas, o dólar subiu em oito, avançando quase 15%. Segundo dados da BM&F, o giro financeiro nesta sessão ficou em 1,2 bilhão de dólares. “O mercado vai continuar se protegendo no dólar enquanto não tivermos mais detalhes sobre o futuro”, disse o gerente de câmbio da corretora Treviso, Reginaldo Galhardo. A principal dúvida dos investidores é sobre o futuro da política fiscal brasileira, criticada por ser excessivamente expansionista e pouco transparente.

Um sinal importante sobre a disposição do governo de cortar gastos virá com a escolha do novo ministro da Fazenda. Nesta semana, no entanto, Dilma afirmou que só nomeará o sucessor de Guido Mantega após a reunião do G20, que ocorre em 15 e 16 de novembro. “A situação está tão incerta agora que, quando não tem notícias que poderiam mexer com o mercado, o dólar sobe”, disse o superintendente de câmbio da corretora TOV, Reginaldo Siaca.

O clima de indefinição chegou a impulsionar o dólar a 2,5899 reais na máxima da sessão, alta de mais de 1%. Mas a moeda norte-americana reduziu a alta após dados mostrarem que os EUA criaram menos postos de trabalho do que o esperado no mês passado. “Os números fracos de geração de emprego nos EUA deixam claro que a situação não é completamente confortável lá e o Fed não deve começar a subir os juros em breve”, disse o estrategista-chefe do Banco Mizuho, Luciano Rostagno.

Leia mais:

Entrada de dólar supera saída em US$ 6,92 bi em outubro

Augustin diz que governo vai mudar meta fiscal de 2014

Inflação acelerada levou Copom a subir os juros

Bolsa – O Ibovespa, principal índice da bolsa de valores brasileira, subiu 1,11% no fim do pregão desta sexta-feira, aos 53.221 pontos. As ações da Usiminas e Localiza puxaram a lista de altas, com ganhos de 4,58% e 4,23%. Do lado negativa, estavam três construtoras: BR Properties (queda de 3,70%), Even (3,61%) e PDG (3,57%).

(Com agência Reuters)