Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês

Dólar fecha cotado a R$ 2,348 em dia de realização de lucros

Pelo segundo dia seguido, divisa americana fecha em baixa; investidores que apostaram na alta da moeda venderam em massa nesta quarta-feira

Por Da Redação 28 ago 2013, 17h21

O dólar acelerou a queda ante o real nesta quarta-feira e fechou cotado a 2,348 reais, recuando 0,86% em relação ao dia anterior. Segundo analistas, a queda da moeda aconteceu porque investidores que vinham apostando na alta nas últimas semanas resolveram embolsar os lucros.

Foi o segundo dia seguido que a divisa americana fechou em baixa. Na terça, porém, foi um movimento pontual: um único investidor trouxe 1 bilhão de dólares ao Brasil e derrubou a cotação perto do fechamento da terça, segundo jornal Valor Econômico.

Nesta quarta, o dólar abriu em alta de 1%, a 2,39 reais, devido a preocupações do mercado com as ameaças de um ataque militar na Síria.

O Banco Central continuou com sua estratégia de intervenções diárias no mercado de câmbio. Nesta manhã, foram vendidos todos os 10 mil contratos de swap cambial tradicional – equivalente a venda de dólares no mercado futuro – com vencimento em 2 de dezembro de 2013. O volume financeiro equivalente da operação foi de 498,2 milhões de dólares.

Leia mais:

Artilharia do BC é pouco eficaz e mostra o óbvio: dólar alto veio para ficar

Bernanke está de saída do Fed; saiba como isso afeta o Brasil

Continua após a publicidade

Segundo o BC, o programa, que foi anunciado na semana passada com o potencial de 60 bilhões de dólares, tem o objetivo de “prover hedge cambial aos agentes econômicos e liquidez ao mercado”, por meio de swaps cambiais tradicionais e leilões de linha até, pelo menos, 31 de dezembro.

O resultado do fluxo cambial mostrou estar havendo saída de recursos no acumulado do mês, puxado pela conta comercial. Na semana passada, houve saída de 2,470 bilhões de dólares, dos quais 1,585 bilhão de dólares da conta comercial e 884 milhões de dólares da conta financeira.

Cenário externo – A possibilidade de intervenção militar na Síria e as incertezas sobre o futuro da política monetária dos Estados Unidos, por sua vez, também corroboravam o viés de alta da moeda dos Estados Unidos, com investidores alimentando expectativas de que o Federal Reserve, banco central norte-americano, possa começar a reduzir em breve seu programa de estímulos, no valor mensal de 85 bilhões de dólares, diminuindo, assim, a liquidez nos mercados globais.

“O pessoal está na expectativa de quando serão retirados os estímulos norte-americanos, e enquanto essa novela continuar, (o dólar) no curto prazo vai ficar um pouco pressionado”, afirmou o superintendente de câmbio da Advanced Corretora, Reginaldo Siaca.

Bolsa – A BMF&Bovespa fechou em queda nesta quarta-feira após sessão volátil, pressionada pela derrocada das ações da OGX. O Ibovespa caiu 0,45%, aos 49.866 pontos.

O índice chegou a subir 1%, seguindo a alta das bolsas norte-americanas, mas fechou no vermelho após uma acentuada da petroleira do grupo EBX. As ações foram afetadas pela notícia de que o empresário Eike Batista estaria negociando a conversão da dívida bilionária da OGX em participação acionária na companhia. “A operação traria uma diluição da atual base de acionistas”, afirmou o analista Felipe Rocha, da Omar Camargo Corretora.

A OGX teve queda de 15,94% no pregão desta quarta e fechou cotada a 58 centavos.

(com agência Reuters)

Continua após a publicidade
Publicidade