Assine VEJA a partir de R$ 9,90/mês.

Dólar cai pelo 3º dia e acumula perda de 4,95% no mês

A cotação de 1,787 real foi a menor desde 19 de setembro deste ano

Por Da Redação - 6 out 2011, 17h07

O cenário externo deu uma trégua nesta quinta-feira e o dólar balcão teve mais um dia de forte queda. A moeda norte-americana encerrou os negócios com um declínio de 2,67%, a 1,787 real. A cotação foi a menor desde 19 de setembro deste ano, quando atingiu 1,774 real. Com isso, a divisa passa a acumular baixa de 4,95% no mês e, no ano, desacelerou a valorização para 7,39%. A expectativa de que está a caminho uma saída para a crise europeia animou os investidores.

Na mínima, o dólar balcão atingiu 1,7810 real e, na máxima, 1,8370 real. Na BM&F, o dólar pronto fechou em queda de 2,27%, a 1,787 real. Na máxima, a moeda na BM&F atingiu 1,8295 real e, na mínima, 1,7810 real. No mês, o dólar na BM&F acumula perda de 5,40% e, no ano alta de 7,46%. A melhora de humor, iniciada na terça-feira, foi reforçada nesta quinta logo pela manhã com o anúncio de novas medidas de liquidez pelo BC inglês (BoE) e pelo Banco Central Europeu (BCE).

As duas instituições mantiveram inalteradas as taxas de juros de seus países. Mas o que fez os investidores passarem a acreditar que uma ajuda coletiva está próxima de ser concluída foi o anúncio relacionado à compra de títulos. O BoE aumentou o programa de compra de ativos de 200 bilhões de libras para 275 bilhões de libras. Já o BCE decidiu retomar a operação de compra de bônus cobertos – comprará até 40 bilhões de euros em bônus a partir de novembro – e manter duas operações separadas de refinanciamento para bancos da zona do euro.

(com Agência Estado)

Publicidade