Clique e Assine a partir de R$ 9,90/mês

Dólar cai e volta para R$ 1,592 com exterior mais calmo

Por Da Redação 29 ago 2011, 17h01

Por Silvana Rocha

São Paulo – Os investidores começaram a semana com um sentimento de menor aversão ao risco nos mercados globais e dispostos a comprar moedas consideradas mais arriscadas, como o euro e o real, que subiram ante o dólar. Ao mesmo tempo, continuaram buscando alternativas ao franco suíço e ao iene, após as ações recentes dos governos suíço e japonês para tentar conter a apreciação de suas moedas, o que também beneficiou o euro e ajudou a sustentar ganhos ao dólar em relação a essas divisas.

No mercado brasileiro de câmbio, o fluxo de recursos foi aparentemente equilibrado hoje, mas diante do recuo do dólar o Banco Central realizou à tarde o habitual leilão diário de compra de moeda no mercado à vista, no qual fixou a taxa de corte das propostas em R$ 1,5924. A autoridade monetária também anunciou que fará às 18 horas uma pesquisa de demanda por contratos de swap cambial reverso, o equivalente à compra de dólares no mercado futuro, para eventual realização amanhã de um leilão de rolagem do próximo vencimento de cerca de 37.400 contratos (ou cerca US$ 1,87 bilhão) em 1º de setembro.

No encerramento dos negócios no mercado interbancário, o dólar comercial foi cotado a R$ 1,592, em baixa de 0,81%. Na Bolsa de Mercadorias & Futuros, o dólar à vista caiu 0,68% hoje e fechou a R$ 1,5918. O euro comercial caiu 0,65% para R$ 2,309.

A movimentação no mercado de moedas nesta segunda-feira encontrou respaldo na percepção de que o banco central americano (Federal Reserve) ainda poderá adotar medidas em setembro para dar estímulo à economia norte-americana e no dado divulgado hoje, que mostrou aumento dos gastos dos consumidores norte-americanos em julho (0,8%), o melhor resultado em cinco meses.

Câmbio turismo

Nas operações de câmbio turismo, o dólar foi cotado a R$ 1,703 na venda, alta de 1,55% em relação a sexta-feira. Na compra a moeda foi cotada a R$ 1,537. O euro turismo subiu 1,95% para R$ 2,46 na venda e R$ 2,27 na compra.

Continua após a publicidade


Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Impressa + Digital

Plano completo de VEJA. Acesso ilimitado aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias 24h e revista digital no app (celular/tablet).

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Receba semanalmente VEJA impressa mais Acesso imediato às edições digitais no App.



a partir de R$ 39,90/mês

MELHOR
OFERTA

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e ter acesso a edição digital no app, para celular e tablet. Edições de Veja liberadas no App de maneira imediata.

a partir de R$ 9,90/mês

ou

30% de desconto

1 ano por R$ 82,80
(cada mês sai por R$ 6,90)