Clique e Assine por somente R$ 2,50/semana

Dólar cai a R$ 3,83 com expectativas de manutenção dos juros nos EUA

Real acompanhou divisas de outros mercados emergentes após crescerem as apostas de que o banco central americano não elevará a taxa básica

Por Da Redação 16 set 2015, 17h34

O dólar fechou em queda em relação ao real nesta quarta-feira, acompanhando o movimento em outros mercados emergentes, que foram influenciados pelas apostas de que o Federal Reserve, banco central americano, não elevará os juros neste momento. No fim da sessão, a moeda americana caiu 0,74%, a 3,83 reais na venda. A divisa também perdeu terreno em relação a outras moedas, como os pesos chileno e mexicano.

Nos EUA, o índice de inflação ao consumidor (CPI) caiu 0,1% em agosto em comparação com julho – a previsão era de estabilidade. A grande expectativa nos mercados de moedas é pela decisão do Federal Reserve para os juros em reunião que começa nesta quarta e termina amanhã. A presidente da instituição, Janet Yellen, dará entrevista na quinta, depois do encontro.

De acordo com operadores, o dólar deve subir se o Fed elevar a taxa de juros e, caso a instituição não altere a taxa atual, a moeda americana, em resposta, pode recuar. Entretanto, alguns analistas afirmam também que a possível queda não durará muito, pois o Fed ainda pretende elevar a taxa de juros, independentemente do momento.

Apesar do alívio pontual vindo do exterior, os agentes financeiros se mantêm na defensiva, o que se reflete no baixo volume de operações. A cautela ocorre porque os investidores estão à espera de novidades na esfera política doméstica em relação ao pacote fiscal do governo, de cerca de 66,2 bilhões de reais. A percepção é de que o conjunto de medidas, sobretudo a proposta de recriação da CPMF, enfrenta resistência no Congresso, o que ampara o receio de não-cumprimento da meta de superávit primário de 0,7% do PIB em 2016.

Leia mais:

Brasil cai 12 posições e fica em 118º lugar em ranking de liberdade econômica

Cunha diz que CPMF está “fadada a derrota fragorosa” mesmo com apoio de governadores

Bovespa – A bolsa brasileira fechou no azul pelo terceiro pregão consecutivo, em linha com as bolsas no exterior, com as ações da Petrobras e de bancos privados levando o índice de referência do mercado acionário doméstico para seu maior patamar em mais de um mês.De acordo com dados preliminares, o Ibovespa subiu 2,51%, a 48.550 pontos. O giro financeiro totalizava 7,27 bilhões de reais.

(Com agência Reuters)

Continua após a publicidade
Publicidade