Assine VEJA a partir de R$ 9,90/mês.

Dólar abre em alta e bolsa cai com tensão entre EUA e China

Moeda americana é vendida por R$ 3,97. Na sexta-feira, a cotação era de R$ 3,94. Ibovespa opera em queda de mais de 1%

Por Redação - Atualizado em 6 maio 2019, 10h44 - Publicado em 6 maio 2019, 10h14

A fala do presidente americano Donald Trump, que disse que vai elevar para 25% a tarifa sobre 200 bilhões de dólares (cerca de 788 bilhões de reais) a produtos chineses, abalou mercados mundo afora e repercutiu no Brasil. Nesta segunda-feira, 6, o dólar abriu o dia em alta de 0,82%, sendo vendido a 3,971 reais às 10h13. Já o Ibovespa, principal índice da bolsa paulista, abriu o pregão em queda de 1,19%, aos 94.865 pontos.

No pregão anterior, de sexta-feira, o Ibovespa havia fechado em alta de 0,5%, aos 96.007 pontos. Já o dólar teve queda de 0,5%, cotado aos 3,94 reais na venda.

No domingo, Trump usou as redes sociais para anunciar que as tarifas de produtos chineses seriam elevados. “Por 10 meses, a China tem pago tarifas aos EUA de 25% sobre 50 bilhões de dólares de alta tecnologia e 10% sobre 200 bilhões de dólares de outras mercadorias”, escreveu Trump no Twitter. “Os 10% vão para 25% na sexta-feira. 325 bilhões de dólares de bens adicionais enviados para nós pela China continuam sem impostos, mas serão elevados, em breve, a uma taxa de 25%”, acrescentou.

A fala de Trump repercutiu nos mercados globais. A bolsa de Xangai, na China, teve queda de 5,58% nesta segunda-feira. Com a repercussão negativa, o governo local anunciou que uma delegação vai aos Estados Unidos para negociar a questão das tarifas impostas a produtos chineses.

Publicidade

(Com Reuters)

Publicidade