Assine VEJA a partir de R$ 9,90/mês.

Dívida pública federal cresce 1,3% em abril

Impacto total dos juros foi de 17,54 bilhões de reais no mês, sendo que 14,37 bilhões de reais equivalem apenas à remuneração da dívida interna

Por Da Redação - 23 maio 2012, 14h56

A Dívida Pública Federal (DPF) atingiu 1,88 trilhão de reais em abril, segundo dados divulgados nesta quarta-feira pelo Tesouro Nacional. O valor representa um crescimento de 1,32% em relação a março.

A Dívida Pública Mobiliária Federal interna (DPMFi) atingiu 1,79 trilhão de reais, o que equivale a uma alta de 1,06% no mês passado em relação ao mês anterior. Já a Dívida Pública Federal externa (DPFe) somou 85,73 bilhões de reais, com aumento de 7,12% sobre o estoque apurado em março.

O impacto dos juros na DPF foi de 17,54 bilhões de reais, segundo a nota do Tesouro, sendo que 14,37 bilhões de reais foram juros da DPMFi. O restante equivale a juros da dívida externa.

Estrangeiros – A participação dos investidores estrangeiros na DPMFi subiu de 12,12% em março para 12,28% em abril. Essa participação representa 220,37 bilhões de reais nas mãos de estrangeiros. Segundo o Tesouro, esse tipo de investidor tem 80,9% de sua carteira em títulos pré-fixados.

Publicidade

As instituições financeiras detêm 29,51% do estoque da DPMFi, enquanto a parcela dos fundos de investimentos é de 27,58%. O porcentual nas mãos dos fundos de previdência é 13,95%.

A parcela de papéis prefixados na Dívida Pública Federal caiu de 37,77% em março para 37,59% em abril. Também caiu a fatia de papéis atrelados à Selic, de 26,34% para 26,12%. Por outro lado, a parcela de títulos remunerados pela inflação no estoque da DPF subiu de 31,68% em março para 31,99% em abril. Já os papéis cambiais representaram 4,30% do estoque em abril, ante 4,22% em março.

Na DPMFi, os papéis prefixados tiveram uma redução no estoque, passando de 38,81% do total em março para 38,55% em abril. Os títulos remunerados pela inflação subiram de 33,11% para 33,52%. Por outro lado, os títulos remunerados com base na variação da Selic tiveram participação reduzida no estoque de 27,52% para 27,37%. Os papéis cambiais ficaram no mesmo patamar, equivalendo a 0,56% do estoque da DPMFi.

(com Agência Estado)

Publicidade