Assine VEJA a partir de R$ 9,90/mês.

Indústrias migram para o mercado online e estreitam a relação com consumidores

Por DINO - Atualizado em 16 dez 2019, 14h26 - Publicado em 12 dez 2019, 10h23

A internet é responsável pela mudança de mente de grandes indústrias brasileiras, que enxergaram através das telas dos dispositivos eletrônicos novas formas de se relacionarem com o público e aumentarem o faturamento.

A era digital mudou a vida das pessoas e, consequentemente, os hábitos de consumo. Hoje, cada dia mais conectado, o consumidor pesquisa, compara preços e cria uma relação com a marca antes de finalizar a compra.

As indústrias devem se adaptar ao impacto digital, é o que alerta Elvis Fusco, pró-reitor de inovação e desenvolvimento institucional do UNIVEM. “É necessário que as indústrias respondam rapidamente às forças disruptivas do mercado. Assim, a organização deve desenvolver mecanismos que desafiem continuamente seu modelo de negócio atual por meio da transformação digital.”

Para Milton Mitiuye, diretor da Kplan Consultoria, a tecnologia no mundo atual, traz para reflexão, um dos maiores desafios que ainda está por vir e que irá exigir um esforço conjunto de toda a sociedade. “Muitas pessoas enxergam a tecnologia como uma ameaça, principalmente quando se trata de empregos. Porém, é importante não termos medo da tecnologia e sim nos apropriarmos dela para que possamos nos transformar e transformar o meio em que vivemos. É uma nova era, temos que lembrar que quem cria a tecnologia é o homem e não o contrário, pelo menos por enquanto.”

No Brasil, o número de pessoas conectadas à internet não para de crescer. Segundo a pesquisa divulgada pela TIC Domicílios, 126,9 milhões de pessoas usaram a rede regularmente em 2018. Outro dado importante que a pesquisa aferiu sobre o comportamento dos usuários, mostrou que em 2018, cerca de 43 milhões de pessoas compraram algum produto pela internet.

E, mais do que estarem presentes nas redes sociais ou digitalizarem a operação, grandes indústrias tiveram que mudar a forma de se relacionar com o consumidor. Essas grandes corporações que tinham como meta o B2B, enxergaram uma forma de encurtar o caminho até o consumidor final, modernizando os processos frente ao público de interesse, alcançando resultados cada dia mais satisfatórios.

É o caso da Brudden Equipamentos – empresa pioneira na fabricação de equipamentos agrícolas e de jardinagem. Natural do interior de São Paulo, a Brudden iniciou suas atividades em meados de 1980 e sempre teve como propósito criar produtos e soluções inovadoras para facilitar a vida do homem do campo. Foi então que, em 2018, já consolidada como líder do segmento de equipamentos agrícolas, a empresa sentiu a necessidade de estar presente também no mercado online, disponibilizando seus produtos diretamente ao consumidor final, seja ele pequeno, médio ou grande produtor.

Para Bruno Gavassi, supervisor de marketing da empresa, a migração para o e-commerce foi uma divisão de águas. ”A presença online da Brudden através do e-commerce B2C aumentou a visibilidade da marca e contribuiu para aumentar a confiança do consumidor”.

Para o CEO da Eficaz Marketing e especialista em e-commerce, Robinson Gregorato, essa mudança no comportamento de compra do consumidor que deseja estar cada vez mais próximo da marca, gera também novas oportunidades de negócio para grandes manufaturas brasileiras.  “As indústrias que antes comercializavam seus produtos somente para fornecedores, ao migrarem para o e-commerce se deparam com um cenário cheio de oportunidades”.

E essa transformação positiva gera também grandes oportunidades de negócio para o consumidor final, que consegue ter acesso ao produto sem intermédio de grandes varejistas, vantajoso para quem vende e também para quem compra.

Website: https://eficazconsultoria.net.br/

Publicidade