Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Dilma oferece linha especial de R$ 20 bi para estados

Custo do financiamento seria a TJLP mais 1,1% ao ano, com prazo de pagamento em 20 anos

A presidente Dilma Rousseff está oferecendo uma linha especial de crédito aos estados no valor de 20 bilhões de reais, voltada para investimentos. Segundo uma fonte que participa nesta sexta-feira da reunião da presidente com os governadores, o custo desse financiamento seria a Taxa de Juros de Longo Prazo (TJLP), que hoje está em 6% ao ano mais 1,1% ao ano, com prazo de pagamento em 20 anos, sendo um ano de carência.

Essa linha de crédito, disponibilizada por meio do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), tem o objetivo de permitir investimentos a curto prazo – a expectativa da Fazenda é de que o processo de liberação dos recursos dure três meses depois da apresentação dos projetos. Para ter acesso aos recursos, os governos deverão formular suas propostas até 31 de janeiro de 2013.

Apenas cinco governadores não compareceram ao encontro, sendo representados por seus respectivos vices, na informação da assessoria de imprensa do Palácio do Planalto.

Os vice-governadores presentes são Rômulo Gouvêia (Paraíba), Antônio Souza Filho (Piauí), Airton Pedro Gurgacz (Rondônia), Francisco de Assis Rodrigues (Roraima) e Guilherme Afif Domingues (São Paulo), que está como interino. O governador da capital paulista, Geraldo Alckmin, estava ontem em Washington para assinar um contrato de financiamento com o Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) no valor de 1,148 bilhão de dólares (2,364 bilhões de reais), o maior da história do organismo internacional.

Entre os ministros presentes estão o da Fazenda, Guido Mantega; do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, Fernando Pimentel; de Relações Institucionais, Ideli Salvatti; e do Planejamento, Miriam Belchior. Também participam o vice-presidente Michel Temer e o presidente do BNDES, Luciano Coutinho.

(Com Agência Estado)

Leia mais:

Dilma discutirá investimentos com setor sucroalcooleiro

Dilma diz que governo seguirá estimulando consumo

Dilma diz que crises não podem abalar compromisso ambiental