Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Dilma critica medidas europeias de combate à crise

Para presidente, Europa está 'canibalizando' os mercados emergentes

Por Luciana Marques 1 mar 2012, 13h14

A presidente Dilma Rousseff fez duras críticas nesta quinta-feira à forma como os europeus tentam combater a crise econômica. “Vamos continuar desenvolvendo o país, a indústria e impedindo que métodos de sair da crise dos países desenvolvidos impliquem na canibalização dos mercados dos países emergentes”, disse a presidente, referindo-se ao recente empréstimo bilionário oferecido pelo Banco Central Europeu (BCE) aos bancos do continente.

Segundo ela, a política de juros baixos e aumento de crédito adotada pela Europa é “absolutamente inconsequente”. “Há uma guerra cambial baseada em uma politica monetária expansionista que cria condições desiguais de competição”, afirmou Dilma, citando a valorização do real como um dos efeitos colaterais das políticas dos países desenvolvidos.

Dilma também criticou a Europa pelo fato de os governos abdicarem da rede de proteção social para cumprir suas metas fiscais. “É óbvio que países reduzem essa proteção jogam na lata de lixo conquistas históricas”, afirmou, para em seguida destacar que o Brasil não abrirá mão das proteções sociais. “Quero dizer que estamos em outra etapa. Não somos perdulários. Vamos buscar a melhor qualidade possível do gasto público. Vamos buscar com os trabalhadores, empresários”, disse.

As críticas ocorreram durante a cerimônia de lançamento do “Compromisso Nacional para Aperfeiçoamento das Condições de Trabalho na Indústria da Construção”, encerrado há pouco no Palácio do Planalto.

(Com Agência Estado)

Continua após a publicidade
Publicidade