Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Dilma anunciará pacote de infraestrutura, confirma Coutinho

Presidente do BNDES confirma que o governo federal divulgará, nas próximas semanas, medidas para incentivar investimentos em logística e infraestrutura

Por Da Redação 6 ago 2012, 11h57

O presidente do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), Luciano Coutinho, confirmou nesta segunda-feira que a presidente Dilma Rousseff anunciará “nas próximas semanas” um pacote para incentivar investimentos em logística e infraestrutura.

“Um grande esforço que será anunciado nas próximas semanas de investimentos em logística e infraestrutura pela nossa presidenta, que será de importância capital para o agronegócio e o país”, disse no Congresso Brasileiro do Agronegócio, em São Paulo (SP).

Leia mais:

Com um olho no PIB e outro no mensalão, Dilma prepara mês dos pacotes

Miriam Belchior assume concessões de aeroportos

Governo prepara reforma geral do setor portuário brasileiro

Sem dar detalhes, ele afirmou que “pontos de estrangulamento serão removidos” com o pacote. Desta forma, o governo, juntamente com o setor produtivo, poderá “ter planejamento de longo prazo” em logística, ressaltou Coutinho.

Continua após a publicidade

Na abertura da palestra, o presidente do BNDES avaliou que a demanda por produtos do agronegócio brasileiro seguirá em elevação, mesmo com o cenário de expansão mais modesta do Produto Interno Bruto (PIB) global nos próximos anos. Esse crescimento da demanda será ancorado pela necessidade de consumo de alimentos, pelos processos de urbanização, principalmente na Ásia, além do mercado interno forte no Brasil.

Coutinho admitiu a pressão dos alimentos na inflação, considerou-a como um “fenômeno exógeno, criado pelo desequilíbrio externo” da oferta e que “outras fontes (de produção) serão estimuladas, o que irá reverter esse processo”.

Produtividade – O presidente do BNDES também afirmou que o desenvolvimento da agricultura e da pecuária brasileira “terá, a partir de agora, de ser feito em ganhos da produtividade”, principalmente com investimentos na chamada Agricultura de Baixo Carbono (ABC).

“Poucos setores do Brasil são tão autossuficientes e o desafio é manter essa tendência. O crescimento adicional terá de ser feito recuperando solos degradados, com a melhoria genética e o BNDES tem apoiado esse processo”, disse Coutinho.

Dados mostrados pelo presidente do BNDES apontam que, no período de onze meses da safra 2011/2012, entre julho de 2011 a maio de 2012, a instituição financeira desembolsou 10,17 bilhões de reais para o setor, com alta de 5,5% ante igual o período da safra anterior.

O Programa ABC, criado em 2011 pelo governo federal, recebeu 1,128 bilhão de reais em desembolsos no período. Já os desembolsos para o Banco do Brasil dispararam 650,6% entre os períodos, de 114 milhões de reais para 852 milhões de reais. “Essa é a agenda, a da agricultura de baixo carbono”, afirmou.

(Com Agência Estado)

Continua após a publicidade
Publicidade