Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês

Dez propagandas antológicas de cerveja

Confira as campanhas publicitárias que se eternizaram na mente dos brasileiros ao longo das últimas décadas.

Por Da Redação 2 ago 2013, 18h41
Michel Teló em campanha de cerveja
Michel Teló em campanha de cerveja VEJA

Em tempos de saturação de imagens bombardeando as inúmeras mídias o tempo todo, produzir comerciais que se eternizem na mente das pessoas é tarefa árdua. Um personagem, uma canção, um artista ou uma piada – algo faz com que eles sejam sempre lembrados por marcar um período ou uma década. Quem não se lembra dos siris criados pela Brahma, o “baixinho da Kaiser” e a estátua viva de Adoniran Barbosa na propaganda da Antárctica. Confira os vídeos de algumas propagandas memoráveis.

Mau humor faz mal à saúde

Veiculada em 1968, a campanha da Brahma trazia o ator Luiz Gustavo como protagonista, apreciando um copo da cerveja. No início, parece que ele está no conforto do seu lar, mas, ao final do comercial, descobre-se que ele está dentro de um caminhão de mudança.

Beber ou conversar?

O sambista Adoniran Barbosa protagonizou uma estátua que fala na campanha da Antárctica de 1974. O jingle da época, “Beba Antárctica. A cerveja nossa”, foi embalado pelas vozes do grupo Demônios da Garoa. O vídeo conta a história de uma festa no Largo do Bixiga, eterno reduto sambista, que se encerra com a frase “Nóis viemo aqui pra bebê ou pra conversá?”, eternizada por Adoniran.

Ficou no passado

A campanha da Malt 90 fez muito sucesso na década de 80 e foi a patrocinadora do Rock in Rio de 1985. Com pouco mais de um minuto de duração, o comercial trazia um pelotão de soldados em treinamento correndo e assobiando. Ao final da propaganda, aparece uma garrafa da cerveja ao lado de um copo contendo a bebida, e um narrador anuncia “Olha só o que está te esperando”.

De olho na Copa

A campanha da Brahma de 1986 teve como chamariz a Copa do Mundo daquele ano. Estrelada por Antônio Fagundes e Glória Pires, trazia o bordão “É olho na Copa e Brahma na mão”. Convidava os telespectadores a assistirem aos jogos com a “naturalíssima e puríssima” nas mãos.

O baixinho e a cerveja

A campanha, datada de 1987, trazia como um dos personagens o garoto-propaganda da cervejaria, o famoso “baixinho da Kaiser”, interpretado por José Valien. No vídeo, apreciadores da cerveja estão em um bar sendo comandados por um garçom como se estivessem em um tiro de guerra, em que os copos cheios são as armas e a bebida é a bala. Após beberem, eles partem para um coro com referências à canção “ele é um bom companheiro”, substituindo as palavras por “a Kaiser é uma grande cerveja”. O comercial se encerra com uma mensagem que diz “Kaiser. Uma grande cerveja. A cerveja dos momentos felizes”.

Continua após a publicidade

A cerveja do inverno

O comercial da Kaiser de 1994 promovia um novo produto da cervejaria, a Kaiser Bock. De coloração avermelhada, mais encorpada e considerada mais forte do que as tradicionais cervejas da marca, a bebida é anunciada na campanha como “a cerveja oficial do inverno”.

No passo da tartaruga

Em junho de 2001, a Brahma apostou na cômica disputa entre um motorista do caminhão da cervejaria e uma tartaruga por uma lata de cerveja caída no meio de uma estrada. O engraçado é que o animal não apenas ganha a corrida como também “dribla” o motorista, bebe a cerveja e ainda comemora. Ela ficou conhecida como a “Tartaruga da Brahma” e se tornou mascote oficial da marca.

Axé e Ray Charles

Em um minuto de comercial, a Antárctica reuniu a cantora de axé Daniela Mercury e o legendário músico norte-americano Ray Charles para promover o Brasil durante a Copa do Mundo de 1994, nos Estados Unidos – local onde o vídeo foi ambientado. O “axé” proferido por Daniela e acompanhando dos “oh, yes” de Ray representou a união das duas culturas. Em 2000, a cervejaria se fundiu à Brahma, formando a Ambev.

Nãnãnãnã

No verão de 2000, os famosos siris da Brahma conquistaram o público com o seu conhecido “nãnãnãnã”, ao mostrar o traseiro para um banhista. Os cômicos personagens apareciam trajados com biquínis e sungas com direito, inclusive, a marca de sol. A propaganda promovia o bordão “Refresca até pensamento”. Pelas novas regras do Conselho Nacional de Auto-Regulamentação Publicitária (Conar), estão vetadas campanhas publicitárias de bebidas alcoólicas com esse tipo de animação, já que, segundo o Conar, o caráter lúdico pode influenciar o público infantil.

Zeca brahmeiro

O comercial da Brahma de 2001 contou com a participação do sambista Zeca Pagodinho, que promoveu a canção – e o bordão – “Sou brahmeiro”. Na campanha, ele aparece cantando sobre o cotidiano de acordar cedo, trabalhar, menciona os pais e diz ser grato por ter um lar – numa clara alusão ao brasileiro de classe média, consumidor da marca.

Continua após a publicidade
Publicidade