Clique e assine a partir de 8,90/mês

Destaques da semana: Moro na Câmara, Neymar e rivalidades na Copa América

Ex-juiz será sabatinado por deputados sobre diálogos vazados, delegada apresenta conclusão de investigação de estupro e Brasil e Argentina duelam em campo

Por Da Redação - Atualizado em 1 jul 2019, 11h47 - Publicado em 1 jul 2019, 03h22

Comece a semana bem informado e saiba o que será destaque no noticiário:

Ambiente hostil

Na terça-feira 2, o ministro Sergio Moro (Justiça e Segurança Pública) vai até a Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara para falar sobre os diálogos dele com o procurador Deltan Dallagnol, coordenador da força-tarefa da Operação Lava Jato, que mostram o ex-juiz indicando testemunhas de acusação em processo contra o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, sugerindo inverter as ordens de operações e antecipando ao menos uma decisão. O comparecimento estava previsto para a semana passada, mas Moro faltou porque estava em viagem aos EUA. O ministro deve encontrar um campo muito mais minado do que o que encontrou ao ir à CCJ do Senado falar sobre o mesmo tema – lá houve pouca pressão sobre ele e quase nenhum momento de tensão. Na CCJ da Câmara, a oposição ao governo Jair Bolsonaro é maior e mais atuante, mas o ex-juiz chega respaldado pelas manifestações de rua em seu apoio, ocorridas no domingo em dezenas de cidades brasileiras.

A novela continua

Deve ocorrer na terça-feira 2 a apresentação final do relatório do deputado Samuel Moreira (PSDB-SP) na comissão especial que analisa a reforma da Previdência. Ainda há pendências importantes, como a inclusão ou não de estados e municípios no projeto – o que é defendido pelo presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), que no entanto estipulou essa data como limite para a definição da questão. A leitura do parecer final era para acontecer na semana passada, mas atrasou porque Maia costura um acordo – ele se reúne com governadores no mesmo dia, antes da apresentação do relatório

Rivalidades históricas

Após uma infindável série de jogos ruins em campos tão ruins quanto, a Copa América deve ter seus melhores momentos nesta semana, a última do torneio, com dois clássicos cheios de rivalidade. Na terça-feira 2, Brasil e Argentina se enfrentam no Mineirão em busca de uma vaga na decisão da competição – que será no domingo 7 no Maracanã. Os dois times já venceram Copas do Mundo, abrigam várias estrelas internacionais de primeira grandeza e disputam há décadas a hegemonia do futebol sul-americano. Na quarta-feira 3, sai o outro finalista do duelo entre Chile e Peru. Os dois países têm relações diplomáticas estremecidas desde que travaram a Guerra do Pacífico, entre 1879 e 1883, que levou o Peru à derrota e à perda de parte de seu território, ferida que até hoje não foi cicatrizada e ainda redes discussões em organismos internacionais e animosidades entre chilenos e peruanos.

Craque na berlinda

Está prevista para esta segunda-feira, 1º, a conclusão pela polícia do inquérito que investiga a acusação de estupro feita pela modelo Najila Trindade contra o atacante Neymar, do PSG e da seleção brasileira. A expectativa é que a delegada Juliana Bussacos, que investiga o caso, entregue o seu relatório com a conclusão das investigações, que pode ser pelo arquivamento ou pelo indiciamento do jogador. Neymar está em férias desde que foi cortado da Copa América por causa de uma contusão no tornozelo.Ele alega inocência.

Aranha nas telas

Estreia na quinta-feira 4 o filme Homem-Aranha: Longe de Casa, mais uma aventura dentro do universo Marvel de um dos super-heróis mais populares de todos os tempos. A história é marcada pelas lembranças e consequências de fatos ocorridos em Vingadores: Ultimato (2018), principalmente a morte do Homem-Ferro, considerado mentor do Aranha. O filme tem Tom Holland como o aracnídeo, a direção de Jon Watts (que já dirigiu Homem-Aranha: de Volta ao Lar, de 2017) e a estreia de um novo super-herói, Mysterio (interpretado por Jake Gyllenhaal). Como ocorre com a maioria das produções da Marvel, o filme de ve ser mais um estrondoso sucesso de bilheteria.

Continua após a publicidade
Publicidade