Clique e assine a partir de 9,90/mês

Desemprego na zona OCDE atinge o teto

Índice alcança nível mais alto desde a II Guerra Mundial

Por Da Redação - 7 jul 2010, 13h13

A organização insiste no papel-chave que desempenham os serviços de reinserção trabalhista

A crise do emprego alcançou seu teto e o desemprego vai demorar a retroceder, enfatizou a Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômicos (OCDE) em um relatório sobre o tema publicado nesta quarta-feira, em Paris.

O índice de desemprego na zona OCDE (integrado por 30 países democráticos considerados como os mais ricos do mundo) se encontra em seu nível mais alto desde a Segunda Guerra Mundial (1939-1945). O desemprego alcançou 8,7% em média em março de 2010 (caiu levemente a 8,6% em maio 2010), ou seja, 17 milhões a mais de desempregados que em 2007, quando o índice médio na OCDE era de 5,7%, o nível mais baixo desde 1980.

A organização sugere aos estados que preservem os meios suficientes para o emprego, apesar das tensões orçamentárias. “Os recentes dados tendem a indicar que o desemprego alcançou talvez seu ponto mais alto na zona OCDE”. “Dada a gravidade da desaceleração do mercado de trabalho e os riscos sociais e econômicos que isso implica, é importante continuar concedendo fundos apropriados para as políticas de mercado de trabalho”, indica a OCDE. A organização insiste também no papel-chave que desempenham os serviços de reinserção trabalhista e sugere “um maior esforço de investimentos na formação profissional”.

(com AFP)

Continua após a publicidade
Publicidade