Clique e Assine VEJA por R$ 9,90/mês
Continua após publicidade

Desemprego atinge mais pretos e pardos, diz IBGE

A taxa de desocupação registrada para esse segmento foi de 14,6% no terceiro trimestre de 2017, frente a 9,9% dos brancos, segundo a Pnad Contínua

Por Da redação
Atualizado em 4 jun 2024, 19h05 - Publicado em 17 nov 2017, 10h44

A falta de emprego atinge mais indivíduos pretos e pardos que os demais, segundo dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (Pnad Contínua), do IBGE, divulgada nesta sexta-feira. A taxa de desocupação registrada para esse segmento da população foi de 14,6% no terceiro trimestre de 2017, frente a 9,9% dos brancos.

O total de pretos e pardos que buscaram e não conseguiram emprego no período era de 8,3 milhões, dentre 13 milhões desocupados (63,7% do total). Esses dois grupos étnicos representavam 54,9% da população com mais de 14 anos. A remuneração média mensal no terceiro trimestre foi de 1.531 reais, enquanto a dos brancos foi de 2.757 reais, segundo a Pnad Contínua.

Além do desemprego, a taxa de subutilização – que considera também a subocupação, por trabalho inferior a 40 horas semanais – também é maior para pretos e pardos, de 28,3% ante 18,5% dos brancos. Segundo o IBGE, havia 26,8 milhões de brasileiros subutilizados no terceiro trimestre.

Continua após a publicidade

Segundo o coordenador de trabalho e rendimento do IBGE, Cimar Azeredo, os dados indicam a desigualdade no mercado de trabalho brasileiro. “Entre os diversos fatores estão a falta de experiência, de escolarização e de formação de grande parte da população de cor preta ou parda. Isso é um processo histórico, que vem desde a época da colonização. Claro que se avançou muito, mais ainda tem que se avançar bastante, no sentido de dar a população de cor preta ou parda igualdade em relação ao que temos hoje na população de cor branca”, disse o pesquisador.

 

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

Domine o fato. Confie na fonte.

10 grandes marcas em uma única assinatura digital

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de 9,90/mês*

ou
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de 49,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$118,80, equivalente a 9,90/mês.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.