Clique e assine com até 92% de desconto

Depois de ano difícil, Vale prevê minério a preços mais altos

Para 2015, expectativa é de preços entre US$ 83 e US$ 85 por tonelada. Commodity chegou a ficar abaixo de US$ 70 por tonelada em 2014

Por Da Redação 27 nov 2014, 09h57

À frente da Vale desde 2011, Murilo Ferreira admite viver o momento mais difícil de sua gestão. A avaliação é motivada pelo cenário econômico e pelos preços do minério de ferro rompendo a barreira dos 70 dólares por tonelada, o mais baixo patamar dos últimos cinco anos. Para 2015, o executivo trabalha com preços na faixa de 83 dólares a 85 dólares, que considera o ponto de equilíbrio do mercado.

A convicção do presidente da Vale é de que, caso a cotação da commodity chegue ao nível de 65 dólares a tonelada, haverá um grande ajuste, com redução substancial da oferta.

Segundo o executivo, mesmo diante de desafios, a Vale paga a maior remuneração da indústria de mineração. “Realmente, 2015 e 2016 serão anos atípicos por conta do volume que teremos que investir, mas você pode ter certeza que nós privilegiaremos uma prudência no endividamento da empresa acompanhada de um pagamento de dividendos saudável”, diz. “Nós temos de ser absolutamente obstinados em fazer mais por menos”, acrescenta.

Leia também:

Vale tem prejuízo de R$ 3,38 bi no 3º trimestre

Preço do carvão desaba e faz Vale desativar mina na Austrália

Os investimentos a que se refere são na maior parte relativos à conclusão do projeto Serra Sul, no Pará, que tem início de operação previsto para 2016. Com produção estimada em 90 milhões de toneladas anuais de minério de ferro, ele é o maior da história da Vale (19,5 bilhões de dólares).

(Com Estadão Conteúdo)

Continua após a publicidade
Publicidade